Jardel da Costa/Futura Press
Jardel da Costa/Futura Press

Corinthians celebra e destaca dificuldade de bater Chapecoense fora

Jogadores fazem enorme festa por bom triunfo em 'caldeirão'

O Estado de S. Paulo

30 Agosto 2015 | 18h45

O juiz ergue o braço, apita o fim do jogo na Arena Condá e o sentimento dos jogadores do Corinthians é o da conquista de um título. Não que o time esteja cantando vitória antes da hora no Campeonato Brasileiro, mas os 3 a 1 sobre a Chapecoense, fora de casa, foram bastante comemorados por causa da dificuldade encontrada no jogo e naquele estádio.

Apenas o São Paulo havia ganho da Chapecoense em sua arena. Além do mais, o time catarinense vinha de sete vitórias e outros dois empates em sua casa, onde é muito forte. E neste domingo, depois de sair atrás com 2 a 0, pressionou bastante o líder do Brasileirão e por pouco não buscou a igualdade. Parou em Cássio e na boa defesa corintiana.

Depois de passar enorme pressão, os corintianos festejaram, aliviados. "No segundo tempo o time deles cresceu, mas graças a Deus ganhamos. Jogar aqui não é fácil, nossa equipe estudou muito a Chapecoense e fizemos um bom trabalho", comemorou Jadson, autor do terceiro gol, no fim, o do alívio.

A festa do artilheiro corintiano, com 9 gols, se estendeu aos demais companheiros. "Uma vitória boa, um resultado positivo importante, pois sofremos um gol que dificultou bastante o jogo", observou o volante Ralf. E foi além. "Infelizmente não tivemos um bom resultado na quarta-feira (derrota e eliminação da Copa do Brasil para o Santos), mas equipe brigou. O importante hoje era virar a chavinha, pensar só no Brasileirão e deu certo. Independentemente dos resultados dos outros, temos é de fazer a nossa parte."

O Corinthians agora enfrenta o Fluminense na quarta-feira, em sua arena, e a ordem é manter os pés no chão. "Temos de ter cautela, descansar e pensar jogo a jogo. Na quarta-feira será mais uma batalha", exaltou Fagner. "Não adianta a gente falar em sequência de cinco jogos e esquecer o próximo. Se não fizermos o próximo bem feito não adianta nada."

Fagner foca o pensamento no Fluminense, porém não deixa de exaltar o bom desempenho em Chapecó. "Graças a Deus ganhamos um jogo com enorme dificuldade, com pressão grande aqui. A equipe foi muito madura, fez dois gols, levou um na virada (antes do intervalo) que acende o adversário, mas soube controlar o jogo."

Mais conteúdo sobre:
futebolBrasileirãoCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.