Corinthians chega ao limite para renovar contrato de  Guerrero

Clube garante que não vai além da oferta de R$ 13 milhões. Peruano recebe sondagens e equipes do país e do futebol árabe 

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

14 de dezembro de 2014 | 05h00

O Corinthians não vai oferecer além de US$ 5 milhões (R$ 13 milhões) para renovar com o atacante Guerrero, que pediu US$ 7 milhões (R$ 18 milhões).  A diretoria acredita que conseguirá chegar a um acordo com o jogador, artilheiro do time e ídolo da torcida. Guerrero está de férias no Peru. Em janeiro, o clube acredita que chegará a um acordo com o atleta. A ideia é ampliar o vínculo até o dezembro de 2017. 

Caso o atacante se mostre irredutível, a diretoria garante que o jogador terá de cumprir seu contrato que termina em julho de 2015. Dirigentes dizem que se houver proposta oficial de algum clube, Guerrero só sairá mediante ao pagamento de uma multa. 

O Internacional sondou o atacante. Mas o candidato à presidente do Colorado que prometeu contratar o peruano, Marcelo Medeiros, perdeu a eleição neste sábado. Havia ainda, segundo os empresários do atleta, uma sondagem do futebol árabe. O Corinthians, por sua vez, disse que desconhece essa "oferta" e que não foi procurado por clubes do País ou do exterior.

Antes dos jogos oficiais, o Corinthians terá uma pré-temporada cheia. A reapresentação dos jogadores será em 7 de janeiro e dois dias depois o elenco viajará para Fort Lauderdale, no estado da Flórida, nos Estados Unidos, onde fará um período de 10 dias de treinamentos. Neste intervalo, jogará duas vezes contra equipes da Alemanha - dia 15 contra o Bayer Leverkusen e, dois dias depois, contra o Colônia.

Na volta ao Brasil, mais treinos e um possível amistoso contra o Corinthian Casuals, clube inglês que inspirou os fundadores do clube, em 1910, a dar o nome do time. O jogo aconteceria no dia 25 de janeiro, no estádio Itaquerão.

 

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansFutebolGuerrero

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.