Corinthians: clássico preocupa Márcio

Chacoalhando as pernas por baixo da mesa na hora da entrevista coletiva de hoje, o técnico do Corinthians, Márcio Bittencourt, já denunciava o nervosismo que o domina. A tensão tinha explicação: o Palmeiras. Nem o reforço garantido de Tevez o acalma. Muito pelo contrário, só traz a indesejada obrigação de vitória. Fora Leão ser ainda um fantasma que ronda o Parque São Jorge. O clássico de domingo vem em uma hora ruim para o técnico. O Corinthians perdeu as duas últimas partidas, contra o Fluminense e Fortaleza, e precisa se recuperar em cima do rival. O desgaste de uma nova derrota seria enorme. E ele sabe disso. Disse que "desde que fui jogador aprendi que Palmeiras e Corinthians é um divisor de água. Tem influência para o resto da temporada nos clubes. Essa é uma partida diferente. Eu tenho de me manter tranqüilo diante das pressões para que o Corinthians possa vencer, dar a resposta em campo para quem duvida do meu time." O nervosismo do treinador se reflete nos jogadores. Eles percebem que o clima pode ficar ruim para o jovem treinador. "Nós temos de fazer o máximo para ganhar o clássico pelo Márcio. É um ótimo técnico e faz tudo por nós. Ganhar do Palmeiras tem uma importância enorme aos torcedores. Para o grupo, pode se refletir na continuidade do técnico que queremos aqui", afirma Marcelo Mattos. Carlos Alberto disse que "nós estamos dispostos a dar o sangue para vencer o jogo e o Márcio manter o seu emprego. Ele sabe que pode contar conosco." O técnico retribuiu tanta dedicação da equipe."Sei que eles irão fazer tudo para vencer porque são profissionais e homens. E o Corinthians precisa ganhar a partida para se recuperar. É a obrigação de todos aqui." Márcio foi cobrado pelos dirigentes pelo fraco futebol do time. E pela displicência de alguns jogadores, como Roger e Carlos Alberto. Márcio conversou com os dois, mas não quer o confronto público. Muito pelo contrário. Nas suas declarações, ele defende os ?galácticos?. "O time todo foi mal. Nós não acertamos na derrota para o Fortaleza. De vez em quando, qualquer equipe está sujeita a partidas ruins. Infelizmente, aconteceu com o Corinthians. Iremos nos recuperar." Carlos Alberto estava raivoso em relação às cobranças sobre as suas expulsões. Ele ficou quatro partidas sem jogar desde que foi contratado. Duas por cartões amarelos e duas por cartões vermelhos. "Não me preocupo com essas expulsões. Não sei quantas vezes fui expulso e nem quero saber. Sou um jogador de contato e em razão disso acabo sujeito a essas suspensões, mas digo que não estou preocupado com o que as pessoas falam de mim, não." A diretoria nem pensou em multar Carlos Alberto por ter ficado de fora desses quatro jogos. Marcelo Mattos já antecipou o que deverá fazer no clássico. Algo que aprendeu no São Caetano:"Devo marcar o Marcinho. Ele é um excelente jogador e está desequilibrando as partidas para o Palmeiras. Quando a gente treinava junto, era duro. Eu fazia tudo para que ele não pudesse jogar. A única maneira disso acontecer é ficar perto, não deixar que domine a bola. Porque se o Marcinho fizer isso, as coisas ficam difíceis", avisa, preocupado, o volante. O Corinthians viaja amanhã à noite para Atibaia, depois do treinamento. A equipe ficará lá até o sábado, concentrada para o clássico. "A hora é de ficarmos juntos, planejamento a melhor maneira para ganhar esse jogo do Palmeiras. Contra o Fortaleza vi alguns erros que precisam ser corrigidos o mais rápido possível. O melhor caminho para isso é treinar", analisa Márcio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.