Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Corinthians coloca sua arena à disposição para receber campanha de vacinação em massa

Anúncio foi realizado pelo presidente do clube, Duílio Monteiro Alves, no Twitter

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de janeiro de 2021 | 12h04

O novo presidente do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, anunciou na manhã desta sexta-feira que deixará a Neo Química Arena à disposição das autoridades de saúde de São Paulo para contribuir na campanha de vacinação contra o coronavírus da cidade. "Tão logo a vacinação seja autorizada, o Sport Club Corinthians Paulista colocará a Neo Química Arena à disposição dos órgãos de Saúde para que seja um ponto de imunização em massa da Zona Leste de SP", escreveu o mandatário, no Twitter. "A gente espera ter vocês na arena o mais breve possível, com muita saúde e união", concluiu Duílio. 

O clube já havia disponibilizado seu estádio, fechado ao público desde março, para a construção de um hospital de campanha no início da pandemia da covid-19. Outros clubes também colocaram seus respectivos estádio à disposição das autoridades, que utilizaram apenas o Pacaembu como hospital de campanha para atender a pacientes com coronavírus.

VACINAÇÃO EM SÃO PAULO

Segundo o Plano Estadual de Imunização contra a covid-19 de São Paulo, as primeiras doses da Coronavac serão aplicadas a partir do dia 25 de janeiro. O cronograma terá nove semanas de duração, com fim previsto para 28 de março. A primeira fase da campanha deve atingir 9 milhões de pessoas e terá como foco profissionais de saúde, idosos, indígenas e quilombolas. 

Na Europa, o Olympique de Marselha, que ocupa a quinta colocação no Campeonato Francês, também anunciou que deixará seu estádio, o Vélodrome, à disposição das autoridades de saúde francesas para ser utilizado durante a campanha de vacinação contra a covid-19 no país.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.