Corinthians começa a reformar a casa

Está confirmado: o Corinthians terá novidades em seu grupo de jogadores na próxima semana. Pelo menos três atletas chegarão ao Parque São Jorge: um lateral-esquerdo, um meia e um atacante. Nos dois primeiros casos, os contratados no fim de 2003 para as posições - Julinho (lateral) e Adrianinho e Samir (meias) - não corresponderam. Athirson continua cotado. Hoje, não foi confirmado, tampouco desmentido. "O mercado não está fácil, mas vamos atrás de alguns nomes", garantiu o vice-presidente de Futebol, Antonio Roque Citadini.No ataque, a fatalidade que assolou Marcelo Ramos e Rafael Silva obrigará o clube a fazer pelo menos uma contratação. Embora os dois, machucados, possam ser liberados antes do início do Campeonato Brasileiro, ainda precisarão de tempo para entrar em forma. Como a competição será em pontos corridos e o Corinthians não quer nem pensar na hipótese de passar pelo pesadelo de ficar nas últimas posições (caem quatro este ano), a idéia é não arriscar.Então, fica uma pergunta: como o Corinthians vai conseguir recursos para contratar os reforços de que tanto necessita? O segredo é guardado a sete chaves pela diretoria. "Vamos fazer tudo com recursos do próprio clube", afirmou, conciso, Citadini.O ideal seria encontrar um parceiro que auxiliasse o clube com investimentos em contratações. No entanto, o trabalho em conjunto com o Banco Espírito Santo, de Portugal, prevê apenas captação de recursos para obras, como a reforma da Fazendinha, já confirmada pelos dirigentes.Caseiro - Outra opção, essa mais provável, vem de dentro do clube. No início do ano, os cartolas explicavam que viabilizariam as contratações com os recursos economizados na dispensa de alguns jogadores. No atual momento, porém, essa linha de raciocínio não funciona. O Corinthians quer atletas que cheguem para ocupar vaga no time titular e esses, certamente, custarão mais caro do que aqueles que deixarão o Parque São Jorge.Assim, a saída seria minimizar o impacto negativo provocado pela deficitária área social do clube. A cada mês, cerca de R$ 500 mil "desaparecem" dos cofres do futebol para cobrir rombos em outros departamentos. A diretoria já tem em mãos um projeto que prevê a redução gradual desse repasse. Com o dinheiro retido, seriam bancadas as novas contratações. Só para ter uma noção da importância do valor deslocado, o time do Cruzeiro, campeão brasileiro em 2003, tinha folha de pagamento de R$ 750 mil.Pé na estrada - Diretoria e comissão técnica decidiram que a equipe fará nova pré-temporada, desta vez de 15 dias. A data em que a delegação viajará ainda não está definida. O objetivo inicial é fechar as contratações até a próxima semana e, assim, embarcar com o grupo completo. Se não for possível, a equipe segue com os jogadores que lá estão. Todos serão reavaliados, técnica e fisicamente. Com os resultados em mãos, o treinador Oswaldo de Oliveira definirá quem será dispensado. A intenção é trabalhar com 25 ou 26 atletas. Hoje, o Corinthians conta com 38 profissionais.

Agencia Estado,

15 de março de 2004 | 22h25

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.