JF Diorio/Estadão
JF Diorio/Estadão

Corinthians confirma 218 peças danificadas em confusão com chilenos na arena

Clube ainda não sabe o valor do prejuízo causado pelos torcedores chilenos em jogo da Sul-Americana

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2017 | 13h22

O Corinthians divulgou nesta quinta-feira que um total de 218 peças, entre cadeiras, grades e portas, foram danificadas durante a confusão de torcedores chilenos com a Polícia Militar na partida em que o time brasileiro derrotou a Universidad de Chile por 2 a 0, quarta-feira à noite, na Arena Corinthians. O clube ainda não revelou o valor do prejuízo.

Foram presos 26 chilenos e sete pessoas ficaram feridas, sendo dois policiais, mas nenhum deles com gravidade. Até o momento, os torcedores ainda estão no 24.° Distrito Policial, na Água Rasa, próximo à Arena Corinthians. Todos serão ouvidos. Após os chilenos prestarem esclarecimentos, eles serão levados para o Fórum Criminal da Barra Funda, onde serão julgados.

Entre os detidos há um jornalista do Chile, que, segundo informação da PM, foi preso por estar no meio da confusão. Ele não conseguiu comprovar sua profissão nem explicar onde estavam os seus equipamentos. Foi levado como se fosse um torcedor comum, portanto.

A BRIGA

A briga começou antes de a bola rolar e se intensificou no intervalo do jogo pela Sul-Americana. Inicialmente, chilenos arrancaram cadeiras da arena para atirá-las contra os corintianos. Depois, eles atiraram esses assentos destruídos nos próprios policiais, que se valeram da truculência no revide para organizar a confusão. No intervalo do primeiro para o segundo tempo, a PM prendeu cinco torcedores que teriam iniciado o quebra-quebra. A ação irritou os demais chilenos, que partiram para cima dos policiais e saíram quebrando tudo que viam pelo caminho.

O Corinthians pretende reparar todos os danos até domingo, quando recebe o Botafogo de Ribeirão Preto pelo Campeonato Paulista. Vai cobrar os valores da diretoria da Universidad de Chile. Caso o clube chileno não coopere, o time brasileiro já prometeu acionar a Conmebol, que organiza o torneio, e pedir punição ao adversário. O jogo da volta está marcado para maio. O Corinthians poderá perder por um gol de diferença para se classificar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.