Corinthians consegue desagradar torcidas

A diretoria do Corinthians conseguiu uma façanha: uniu torcidas uniformizadas rivais. O problema é que foi contra si, já que tanto Gaviões da Fiel quanto Independente reprovam o clássico no Estádio do Pacaembu. Ambas as agremiações preferiam o Morumbi, que geralmente abriga os jogos de grande público, por questões de segurança e capacidade.A principal preocupação dos dirigentes das organizadas é com possíveis enfrentamentos das torcidas. ?A gente é obrigado a dizer que existe risco de confronto. Fizemos um trabalho de conscientização com o pessoal para tentar evitar problemas?, explicou Daniel Vilar de Castro, um dos diretores da Independente. ?O Pacaembu é um estádio charmoso, mas é para jogo de uma torcida só.?A Gaviões fez o mesmo. ?Tivemos a preocupação de instruir o torcedor, dizendo por onde ele deve ir ou não?, disse Wildner Rocha, vice-presidente da organização. ?Tudo bem que o Pacaembu é considerado a casa corintiana, mas o Morumbi tem infra-estrutura melhor. as torcidas podem fazer rotas diferentes para chegar lá. Tudo funciona melhor.?Em clássicos, os torcedores rivais fazem caminhos diferentes para chegar ao estádio. No jogo de hoje, os são-paulinos virão pela Avenida Dr. Arnaldo e pela estação Clínicas do Metrô. Os corintianos usarão a Avenida Pacaembu e as estações Marechal Deodoro e Barra Funda. Ou seja: espaço reduzido para muita tensão. ?Depois, se acontece alguma coisa, sempre falam que a culpa é da organizada?, reclamou Daniel. ?Não podemos assumir essa responsabilidade. Surpreendente é saber que o Batalhão autorizou?, completou Wildner.O comandante do 2.º Batalhão de Choque da Polícia Militar, Major Walter Mota, tenta explicar o que aconteceu. ?Aconselhamos a realização do jogo no Morumbi, mas como o Corinthians manteve a decisão, optamos por limitar o número de ingressos. Não temos o poder de mudar o mando da partida?. A capacidade normal do Pacaembu é de 36 mil pessoas, mas para o clássico, o número diminui para 32 mil.PROTESTOS - A torcida corintiana promete deixar clara sua posição em relação aos insucessos do time, como a ausência de vitórias no Campeonato Brasileiro e a eliminação na Copa do Brasil. ?Não podemos nos omitir. Vamos nos posicionar nas arquibancadas, com faixas e bandeiras?, declarou Wildner. Ele explicou que a torcida está procurando entender que de fato tem acontecido com a equipe.Pelo lado são-paulino, as reclamações mais recorrentes estão na falta de reforços. Exceto pelo atacante Vandinho, que veio do Paraná, nenhum jogador foi contratado para o Campeonato Brasileiro. No entanto, o dirigente da Independente diz que esse clássico será como outro qualquer. ?Não tem nada de muito especial, vai ser o jogo da estréia de um técnico, só isso?, disse Daniel.Mas um outro grupo de torcedores prepara um protesto para o jogo de quarta-feira, no jogo com o The Strongest, no Morumbi, pela Taça Libertadores. Eles vão distribuir um manifesto, condenando a ?inoperância?? da atual diretoria ? pouco ousados e desinteressados em buscar parceria, de acordo com os insatisfeitos ?, pedindo contratações imediatas, profissionalismo dos dirigentes e a busca de alternativas que fortaleçam o clube financeiramente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.