Chico Ferreira/Futura Press
Chico Ferreira/Futura Press

Corinthians conta com a força da Fiel para seguir na Copa Libertadores

Alvinegro precisa tirar diferença de dois gols contra o Guaraní

Vítor Marques, O Estado de S. Paulo

13 de maio de 2015 | 07h00

Era apenas um treino, mas ontem à tarde sete mil torcedores foram a Itaquera incentivar o Corinthians. Hoje, às 22 horas, no Itaquerão, serão 40 mil vozes. E, mais do que nunca, o time precisa da força que vem das arquibancadas.

A equipe de Tite busca um feito inédito para se classificar às quartas de final da Copa Libertadores. É preciso vencer o Guaraní por uma diferença de três gols. Se vencer por 2 a 0, a vaga será decidida nos pênaltis.

"Os torcedores nunca nos deixaram na mão. Queremos retribuir amanhã (hoje) buscando a classificação. Sem eles ficaria muito mais difícil”, afirmou o lateral-esquerdo Fábio Santos.

Pela quarta vez na história da Libertadores o Corinthians chega a um jogo de volta depois de ter perdido por uma diferença de dois ou mais gols no primeiro jogo. Nas outras três vezes, não conseguiu virar e alcançar o placar necessário.

Isso aconteceu contra o Boca Juniors (1991), o Grêmio (1996) e o Palmeiras (1999). As estatísticas também são negativas se somados todos os mata-matas que o time disputou na Copa Libertadores.

Só uma vez, em 2000, enfrentando o Rosário Central, o Corinthians conseguiu se recuperar depois de ser derrotado na partida de ida.

Tite não quer saber dos números de tantos anos atrás. E também não quer ouvir falar sobre o passado recente: sua equipe titular vem de duas derrotas - no último domingo, quem venceu o Cruzeiro, pelo Brasileirão, foram os reservas.

Na Libertadores, os 11 de Tite perderam para o São Paulo (2 a 0) e para o Guaraní (2 a 0). O técnico quer recuperar o desempenho do início do ano, quando passou sem dificuldade por Once Caldas, São Paulo e Danúbio.

O treinador fez uma mudança importante na equipe. Ele vai apostar em Malcom, de 18 anos, no lugar de Sheik, suspenso. Vagner Love, em baixa, nem sequer fica no banco de reservas.

Tite afirmou que o time precisa ser inteligente e não confundir pressa com velocidade. Mas o Corinthians deve começar pressionando e ainda usar a velocidade de Malcom, que terá Guerrero como parceiro. O Guaraní não tem desfalque e tentará fazer história no estádio alvinegro.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansCopa LibertadoresFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.