Corinthians corre atrás de reabilitação

Depois da péssima estréia no Campeonato Brasileiro, com a derrota para o Atlético-MG, por 3 a 0, em pleno Pacaembu, o Corinthians enfrenta o Figueirense, neste domingo, às 16h, em Florianópolis, decidido a provar que o tropeço de domingo passado foi apenas um acidente. ?Quando a nossa equipe joga completa, é uma outra história?, sustenta o técnico Geninho, um dos mais otimistas para o jogo de amanhã. A idéia do treinador era escalar o time completo, mas como Kléber sentiu uma tendenite no tornozelo esquerdo e Ânderson está suspenso, César foi confirmado na zaga e Roger na lateral-esquerda. Mas do meio-de-campo para frente o Corinthians terá todos os seus titulares ? inclusive os três que não enfrentaram o Atlético-MG, Liédson, Gil e Fabinho. Embora seja apenas a segunda apresentação no Campeonato Brasileiro, os corintianos encaram o jogo como se fosse uma decisão. Geninho e seus jogadores não querem nem pensar em nova derrota, o que afastaria ainda mais a equipe dos líderes da competição logo na segunda rodada. ?Sei até que muito time por aí vai dar uma de cavalo paraguaio, disparando na frente, mas o bom senso diz que não é recomendável deixar os outros dispararem. Voltar com os três pontos será fundamental para nossas pretensões?, observa Geninho. Para vencer o Figueirense, no entanto, o time vai ter de esquecer temporariamente a Libertadores. Já na sexta-feira o próprio Geninho fez questão de falar só sobre o Campeonato Brasileiro. Hoje, no último treino antes da viagem, o treinador repetiu o discurso, se negando até a admitir que vai poupar alguns titulares no jogo de quarta-feira contra o The Strongest na altitude de La Paz. ?No momento, estamos concentrados só no Campeonato Brasileiro. Acho que é perfeitamente possível levar as duas competições com a mesma seriedade. Mas temos de mostrar isso na prática, não com palavras.? O técnico se mostrou tranqüilo em relação às duas mudanças na defesa. Disse que optou por dois jogadores que não devem sentir o peso da responsabilidade. ?O César é experiente, já jogou na Europa e até na Seleção Brasileira. Não vai tremer. Quanto ao Roger, se ainda não está no mesmo nível do Kléber, é um jogador que substituiu bem o próprio Kléber, inclusive na final do Campeonato Paulista.? Reforços - O tom do discurso dos jogadores que entram na equipe é o mesmo de seu treinador. César teve o cuidado de ser polido com o titular Ânderson. ?Nem tinha como reclamar uma chance diante do bom futebol dos dois zagueiros titulares. Mas agora que a chance apareceu, vou fazer o possível para criar um problema para o nosso treinador.? Já o menino Roger tem em mente só não comprometer. ?Sei que a posição é do Kléber, mas posso substituí-lo à altura, como já fiz nas outras vezes.? Antes da viagem para Florianópolis, Geninho voltou a falar sobre os jogadores que interessam ao Corinthians. O técnico confirmou um contato da diretoria com Cocito, do Atlético-PR, mas lembrou que esse não é o único com quem o Corinthians negocia. Citou Paulo Miranda, na reserva do Cruzeiro, e Carlos Alberto, do Botafogo-RJ, apesar das palavras de Citadini dizendo que o clube desistiu desse negócio. ?Desistiu mas continua tentando?, disse Geninho. Para o ataque, a diretoria ainda não desistiu de Marcelo Ramos, mesmo sabendo que ele acertou contrato com o Cruzeiro. Quanto a Alan Dellon, do Vitória, ele virá se for contratado pelo Queretero, do México, e emprestado ao Corinthians.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.