Corinthians corre para não perder Malcom e quer renovar contrato

Corinthians corre para não perder Malcom e quer renovar contrato

Clube propõe vínculo de cinco anos e multa milionária para manter o atacante de 17 anos, agora titular do time de Mano Menezes

Vítor Marques, O Estado de S.Paulo

23 Setembro 2014 | 05h00

O Corinthians já pretende propor um novo contrato ao atacante Malcom, sua principal revelação nas categorias de base. O jogador de 17 anos, agora alçado a titular do time, ganhará aumento salarial e terá multa contratual milionária. O clube vai oferecer ao jovem atleta um vínculo de cinco anos – o atual termina em maio de 2016. A multa contratual também vai subir. A ideia é estipular o valor da rescisão no patamar de 20 milhões de euros (cerca de R$ 62 milhões).

O contrato atual também estipula como estão divididos os direitos econômicos do atleta. O Corinthians detém 70% dos direitos, e os empresários, 30%. Essas cotas podem ser modificadas no novo contrato. Apesar de integrar o elenco profissional desde o início do ano, Malcom ainda recebe salário compatível com jogadores das categorias de base: R$ 10 mil por mês – até o ano passado, ganhava R$ 5 mil. 

Malcom virou titular após a venda de Romarinho ao futebol do Catar. E aproveitou sua chance num curto espaço de tempo. Ele disputou apenas nove jogos no profissional, fez um gol e teve grande atuação na vitória no clássico contra o São Paulo, domingo, no Itaquerão.

Após a Copa São Paulo de Juniores deste ano, o Corinthians integrou, além do atacante Malcom, outros quatro jogadores no elenco profissional: Matheus (goleiro), Guilherme Arana (lateral-esquerdo), Pedro Henrique (zagueiro) e Zé Paulo (meia). Desses cinco jogadores, apenas Zé Paulo foi emprestado. Ele fica no Atlético Paranaense até o fim desta temporada. Para a comissão técnica, ele não teria espaço no elenco porque concorreria com Renato Augusto, Lodeiro, Jadson e Danilo. Se Malcom ou outro jogador desse grupo for bem-sucedido, a diretoria espera que diminuam as críticas de que o clube não revela bons jogadores nem ganha dinheiro vendendo atleta das categorias de base.

O caso do zagueiro Marquinhos foi mais criticado. O Corinthians não aproveitou o jogador e o negociou com a Roma por 5 milhões de euros. Depois, o PSG pagou 30 milhões de euros pelo atleta. 

Notícias relacionadas
Mais conteúdo sobre:
Corinthians Malcom Campeonato Brasileiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.