Corinthians cuida bem do baixinho Elton

Animada com a possibilidade rara do surgimento de um craque nas categorias de base, a diretoria do Corinthians demonstra cuidado e zelo com Elton, de 17 anos. Diante do problema insolúvel da reduzida estatura do jogador ? 1m56 ?, o fisiologista Renato Lotufo tratou de administrar um programa rígido de fortalecimento. A ordem é essa: se ele não pode ganhar bolas de cabeça, pelo menos pode parar de fugir das divididas como vem acontecendo na Copa São Paulo de Juniores. Na estréia, marcou o gol da virada sobre o Figueirense, 2 a 1. E de tão pequeno, ganhou fama.?São sete pílulas todos os dias. Nem sei o que estou tomando. Mas estou engordando?, diz Elton, feliz.O garoto sofre as conseqüências hereditárias de uma família pobre de Palmeira dos Índios, interior de Alagoas. Sua alimentação sempre foi fraca, insuficiente para o desenvolvimento médio da população brasileira. Quanto mais para um atleta. Ele chegou ao Parque São Jorge com 44 quilos. Quando começou a superalimentação, há seis meses, já tinha 46. Hoje pesa 52.O que Elton não sabe estar tomando, Lotufo explica. ?Fizemos vários exames e chegamos à conclusão que ele dificilmente ganhará mais altura. Não existe milagre. Se o Elton conseguir ficar mais forte, melhor. Ele está tomando aminoácidos, hipercalóricos e multivitamínicos. Esses suplementos, mais a alimentação regrada, fazem com que fique mais forte?, diz o fisiologista. ?Ele aumentou seis quilos. Mas não engordou como as pessoas possam pensar. Seu percentual de gordura continua o mesmo: 9%. Está tudo como planejamos. Mais dois quilos e pronto.?Esse fortalecimento já está dando resultado. O treinador dos juniores Adaílton Ladeira vê mudança de comportamento no jogador. ?O Elton é habilidoso demais. Ele tinha a orientação de não participar das divididas por ser muito fraquinho. Era para deixar para os companheiros do time a briga pela posse da bola. Só que agora ele está mais atrevido, se movimentando com mais firmeza?, assegura o técnico.O Corinthians teve nos últimos tempos atletas de baixa estatura que se submeteram a fortalecimento muscular. Casos de Luciano Bebê e Fabinho Boca. A dupla ficava também perto do 1m60. ?Infelizmente, não foram bem porque não tinham o talento de Elton. O jogador baixo tem dificuldade para se firmar?, afirma Lotufo.No melhor time que o Internacional teve em sua história, em 1975 e 1976, o então técnico Rubens Minelli brincava dizendo que não escalaria jogador menor que 1m70. ?Não importa o que digam: eu me garanto contra qualquer cara alto. Ainda mais agora que estou forte?, garante o vitaminado Elton.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.