Mauricio Dueñas Castañeda/EFE
Mauricio Dueñas Castañeda/EFE

Corinthians culpa altitude e campo largo por empate na Colômbia

Jogadores explicam o motivo da má atuação contra o Patriotas

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2017 | 07h00

Os jogadores do Corinthans destacaram que tiveram adversários extras no empate por 1 a 1 com o Patriotas, quarta-feira, em Tunja, na Colômbia, pela Copa Sul-Americana. A altitude da cidade - 2.8100 metros - e o gramado mais largo atrapalharam os jogadores. 

"Fizemos uma viagem muito cansativa. Alguns jogadores tiveram dor de cabeça, eu mesmo tive, por causa da altitude. E a gente sabe que é complicado jogar fora de casa em torneio sul-americano, por isso, acredito que conseguimos um bom resultado", disse o goleiro Cássio. 

O técnico Fábio Carille alertou para o tamanho do gramado como algo que fez com que os jogadores se cansassem mais do que o normal. "Foi nítido que os jogadores cansaram durante o jogo. Eles abafavam e tinham que esperar um pouco para respirar. E a questão do campo é nítido, muito maior aos padrões que a gente está jogando lá. Bem maior do que o normal, não sei quanto", comentou o treinador.

Autor do gol que evitou a derrota, Balbuena contou que o Patriotas foi bem estudado pelos corintianos. "Sabíamos das dificuldades que teríamos, pois tínhamos analisado eles e sabíamos que era uma equipe dinâmica, como caracteriza o futebol colombiano, com atleta velozes e de muita força". 

Com o empate por 1 a 1, o Corinthians se classifica com uma vitória simples, dia 26 de julho ou até mesmo com o placar de 0 a 0. Caso o resultado seja novamente 1 a 1, a decisão será nos pênaltis. 

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
Corinthiansfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.