Corinthians dá prazo para Tite responder

O Corinthians e a MSI estão perdendo a paciência com Tite. Os dirigentes resolveram dar um basta no mistério que vem sendo alimentado pelo técnico e seu procurador, Gilmar Veloz, desde o começo da semana. O clube resolveu estipular um prazo para Tite responder se aceita ou não dirigir o Corinthians em 2005. Se a resposta não vier nas próximas 12 horas, o treinador será descartado. Esse prazo, na verdade, deveria ter se encerrado hoje, ao meio-dia. Mas o procurador do técnico, Gilmar Veloz, ligou, avisando que Tite ficou preso num congestionamento provocado por um acidente de trânsito na rodovia BR-101, entre Tubarão e Jaguaruna, no sul de Santa Catarina. A desculpa não colou. Os dirigentes corintianos desconfiam que esteja faltando boa vontade a Tite. Se ele quisesse, poderia ligar de qualquer telefone público. O plantão da diretoria no Parque São Jorge hoje, à espera de um telefonema do técnico, terminou pouco depois das 15h. Andrés Sanches viajou para a casa da mãe, em Americana; Dualib e Nesi Curi viajaram com suas famílias; e Paulo Angioni seguiu para o Rio de Janeiro, onde passará o réveillon com os familiares. Antes de deixarem o clube, se perguntaram: "Se Tite não tem como dar a resposta ao Corinthians, como conseguiu conversar com Gilmar Veloz, avisando que estava preso num congestionamento na rodovia BR-101?". O que ameaça o acordo entre Tite e o Corinthians é uma proposta do futebol japonês. Gilmar Veloz chegou a admitir aos representantes do Corinthians e da MSI que no Japão o treinador ganharia muito mais do que no Parque São Jorge. Uma outra ameaça poderia vir da Vila Belmiro, já que o Santos perdeu Vanderlei Luxemburgo para o Real Madri. Mas o Corinthians não está nem um pouco preocupado com a hipótese de Tite trocar o Corinthians pelo Santos. "O Corinthians não pode ter essa preocupação. A pessoa tem que querer trabalhar no Corinthians, tem que ter prazer de trabalhar aqui", avisou o gerente de Futebol Paulo Angioni. O dirigente não quis confirmar oficialmente o prazo dado para Tite responder, mas confirmou que o atraso na definição do técnico deve prejudicar o planejamento para 2005, inclusive a contratação dos reforços. "A necessidade é emergente", acrescenta Angioni". Gostaríamos que isso já tivesse resolvido, porque todo o projeto tem de passar pelo treinador. Espero que tudo se resolva rapidamente. No máximo até amanhã".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.