Rodrigo Coca/Agência Corinthians
Rodrigo Coca/Agência Corinthians

Corinthians dá vexame, só empata com o América-MG e se despede da Copa do Brasil

Fagner abre o placar em cobrança de pênalti, mas Rodolfo deixa tudo igual também em cobrança da marca da cal

Fabio Hécico, especial para o Estado, Estadão Conteúdo

04 de novembro de 2020 | 23h42

Durou apenas dois jogos a participação do Corinthians na Copa do Brasil. Em mais uma apresentação fraca, empatou com o América-MG por 1 a 1 no Independência e deu adeus nas oitavas de final da competição. Mais um vexame em mata-mata no ano. Resta apenas o Brasileirão aos paulistas. Os mineiros chegam às quartas de final pela primeira vez na história.

Mesmo sem jogar bem, o Corinthians ainda saiu na frente em Belo Horizonte e chegou a sonhar com a decisão por pênaltis. Mas uma penalidade aos 38 minutos do segundo tempo acabou com o sonho corintiano de reverter a derrota por 1 a 0 sofrida em São Paulo.

O Corinthians pela terceira vez no ano lamenta um revés nos mata-matas. Já havia decepcionado seu torcedor na fase prévia da Libertadores diante do Guarani, do Paraguai. E perdeu a decisão do Paulistão para o rival Palmeiras. Se dedicará a evitar um vexame no Brasileirão, no qual ainda luta contra o rebaixamento.

A necessidade de reverter a derrota em casa não fez Vagner Mancini escalar um Corinthians mais ofensivo. Impossibilitado de escalar Fábio Santos e Otero, optou pelo óbvio: Lucas Piton e Mateus Vital.

Na frente, Davó isolado crente que receberia novamente um belo passe de Cazares como ocorreu diante do Internacional. Faltou apenas dizer que os mineiros jogavam pelo empate e não iriam se abrir como o Internacional fez no sábado.

Foi um primeiro tempo ao melhor estilo Corinthians. Numa sonolência, sem criatividade e nenhum força ofensiva. Pior, com show de erros de passes e proporcionando contragolpes perigosos não aproveitados pelo América.

Cássio trabalhou bastante, enquanto Matheus Cavichioli teve a vida facilitada pela carência de finalizações corintiana. Uma cabeçada sem força de Marllon e um chute de Xavier foi o repertório ofensivo dos comandados de Mancini.

Para piorar, Cazares ainda sentiu uma lesão no posterior da coxa esquerda com meia hora de bola rolando e pode ser desfalque por algumas rodadas. Sábado, por exemplo, dificilmente encara o Atlético-GO, fora de casa.

A esperada ousadia de Mancini com uma mudança de postura foi retratada em trocas dos volantes. O treinador corintiano, precisando da vitória, voltou com dois novos homens de marcação.

Reforçou a marcação, mas deu sorte com boa trama de seus jogadores de frente. Davó recebeu, partiu para cima do zagueiro Anderson Jesus e foi derrubado na área. O árbitro marcou tiro de meta, mas o VAR corrigiu a marcação. Após quatro minutos, Fagner abriu o marcador.

Com vantagem de 1 a 0, o Corinthians devolvia a derrota sofrida em casa, há uma semana. E a decisão estava aberta, com possibilidade de pênaltis. Rodolfo, porém, quase empatou logo a seguir. Bateu raspando a trave de Cássio.

O jogo ficou aberto com ataques desorganizados de ambos os lados. Faltava técnica para os dois times. Um escanteio para o Corinthians quase virou gol do América-MG. A zaga afastou e Everaldo mandou para o alto, tentando recuar para Cássio. O goleiro saiu da área e não afastou. Ademir bateu para o gol aberto e Fagner salvou.

O Corinthians se salvou no primeiro lance, mas nada pôde na segunda. A noite não era corintiana. Num lançamento, Lucas Piton correu para dar combate e a bola bateu em sua mão. Ele estava de costas e mesmo assim o pênalti foi anotado. Rodolfo cobrou, Cássio resvalou na bola, porém a bola entrou.

O Corinthians ainda buscou o triunfo nos minutos finais. Em chuveirinhos para a área. Fechou o jogo no desespero e mostrando a desorganização que o acompanha o ano todo.


FICHA TÉCNICA

AMÉRICA-MG 1 x 1 CORINTHIANS

AMÉRICA-MG - Matheus Cavichioli; Diego Ferreira, Messias, Anderson Jesus e João Paulo; Zé Ricardo, Juninho e Geovane (Alê); Felipe Azevedo (Marcelo Toscano), Vitão (Rodolfo) e Ademir (Daniel Borges). Técnico - Lisca.

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Gil, Marllon e Lucas Piton; Xavier (Gabriel), Ederson (Cantillo), Ramiro (Luan) e Mateus Vital; Cazares (Everaldo) e Davó (Léo Natel). Técnico - Vagner Mancini.

GOL - Fagner (pênalti), aos 14, e Rodolfo (pênalti), aos 38 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Gil, Fagner, Xavier e Everaldo (Corinthians) e Diego Ferreira (América-MG).

ÁRBITRO - Wagner Nascimento Magalhães (RJ).

RENDA E PÚBLICO - Jogo disputado com portões fechados.

LOCAL - Independência, em Belo Horizonte (BH).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.