Corinthians decepciona outra vez

Começou a desandar a máquina corintiana. Para os torcedores que faziam contas para saber quantos pontos separavam o time da liderança do Campeonato Brasileiro, o magro 1 a 1 neste sábado, no Pacaembu, contra o Grêmio, foi o segundo banho consecutivo de água fria. Quarta-feira, o time perdeu, de virada, para o Paysandu, no Pará. "Quando a fase começa a ficar assim é complicado", reclamou após o jogo o zagueiro Anderson, lamentando o, em sua interpretação, azar de sua equipe no gol de empate dos gaúchos. "Eles batem uma falta e ela entra", lamentou. Para complicar a situação (nessas horas, sobram notícias ruins), o time terá três desfalques certos no próximo fim de semana contra o rival Palmeiras, líder do campeonato: Valdson, Wendel e Zé Carlos levaram o terceiro amarelo. Sem contar que Fábio Baiano deixou o jogo machucado e a enfermaria corintiana já tem Alessandro e Gil. Parecia uma vitória fácil contra um adversário ameaçado pelo rebaixamento. Só parecia. Aos 25, Fábio Baiano fez boa jogada pelo lado esquerdo, cruzou e o gremista Claudiomiro ajeitou para o time errado. Fabinho dominou e chutou sem chance para Márcio: 1 a 0. Era ou não era para pensar em um passeio do Corinthians: aos 31, Edson chutou forte, na trave. O segundo tempo, no entanto, foi trágico desde o início. Fábio Baiano sofreu uma entrada de Fábio Bilica, saiu mancando, sentindo uma antiga contusão na coxa direita. Isto a 1 minuto. Aos 3, falta para o Grêmio, Claudio Pitbull bate no canto, Fábio Costa pula lentamente, toca na bola, mas não evita o empate. A equipe não era eficiente com seu único meia de armação em campo, Fábio Baiano, sem ele então (entrou Rosinei em seu lugar), tornou-se absolutamente previsível. Nem a expulsão de Emerson, aos 31, ajudou o time. Porém, não basta apenas ter o domínio da bola, ficar mais tempo no ataque, os paulistas faziam tudo isso mas não marcavam o gol. E, assim, o time comandado por Tite chegou a 38 pontos e desperdiçou mais uma importante oportunidade de avançar na competição: 1 a 1, em casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.