Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Corinthians declara que estádio tem custo total abaixo de R$ 1 bilhão

Valor final não inclui os gastos com as estruturas complementares para receber as partidas da Copa do Mundo em Itaquera

PAULO FAVERO, O Estado de S. Paulo

17 Fevereiro 2015 | 22h09

O Corinthians divulgou nesta terça-feira o custo total de seu estádio e ficou abaixo da marca de R$ 1 bilhão. Segundo informações do clube, foram gastos R$ 985 milhões para levantar a arena em Itaquera. Nessa conta não estão incluídos os gastos com arquibancadas móveis (bancadas pelo governo do estado em parceria com a Ambev), as estruturas complementares, que fizeram parte do projeto Copa, e os gastos com pagamento de juros dos empréstimos bancários. Se somar tudo, aí o custo final fica abaixo de R$ 1,15 bilhão.

Para chegar ao valor final, o Corinthians faz uma distinção entre o "Estádio do clube" e o "Projeto Copa". Para receber o Mundial em seu campo, o clube teve de se submeter a uma série de exigências e algumas não ficaram de legado. Desta forma, a opção dos dirigentes foi tirar isso da conta. É como se o estádio tivesse um custo final, de R$ 985 milhões, e para receber um megaevento mais dinheiro teve de ser investido. A conta das estruturas complementares ficou em R$ 91 milhões. Esse valor final é um preço fechado, que foi acordado com a Odebrecht para que entregue o estádio completo sem aumentar o valor. As obras na arena estão atrasadas e eram para terem sido terminadas no início do ano.

A planilha de gastos foi apresentada e publicada pelo clube e nela pode-se ver que o Corinthians arcou com mais de R$ 10 milhões para a retirada dos dutos da Petrobras, o primeiro dilema do novo estádio. Como eles passavam por baixo do terreno, foi preciso fazer uma alteração na rota para evitar que em qualquer necessidade de intervenção fosse necessário mexer no terreno da arena. Alguns gastos chamam a atenção, como R$ 2 milhões em televisores e R$ 1,1 milhão em painéis de led.

Alguns gastos estão incluídos na lista, mas ainda não podem ser observados na arena. É o caso dos dois telões, ao custo de R$ 6,7 milhões, que já foram comprados, mas serão instalados apenas no próximo mês. Durante a Copa, por exemplo, foram usados telões alugados. Já a cobertura, que teve um grande impacto no valor final do projeto, custou quase R$ 163 milhões. O teto do estádio ainda está em obras, com a colocação da ponta de vidro na cobertura, fundamental para evitar que os torcedores da primeira fila tomem chuva.

Um outro gasto importante feito pelo Corinthians foi na implantação do gramado de inverno, que saiu por R$ 8,1 milhões. Ele inclui um sistema de drenagem a vácuo e um equipamento que é responsável por resfriar as raízes da grama nos dias quentes. O investimento tem recebido elogios dos próprios atletas. "O gramado ficou muito bom", elogia o meia Danilo, que será titular nesta quarta-feira no clássico contra o São Paulo, pela Copa Libertadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.