Corinthians demite Luxemburgo

Desabou o reinado de Vanderlei Luxemburgo no Corinthians. A péssima campanha no Campeonato Brasileiro, somada à reformulação do grupo de jogadores realizada depois da perda do título da Copa do Brasil, considerada radical e precipitada pelos cartolas, provocou a demissão do treinador e de toda sua comissão técnica. Além dele, foram mandados embora o auxiliar-técnico Heron Ferreira, o preparador físico Antonio Mello, o auxiliar de preparação física Álvaro Peixoto, o preparador de goleiros Cantarelli, o gerente de futebol Luiz Henrique de Menezes e o coordenador-técnico Valdir Joaquim de Moraes. O único que ficou foi o médico Joaquim Grava. O anúncio foi feito no final da tarde desta quarta-feira, pelo vice-presidente de futebol do clube, Antonio Roque Citadini.O nome mais provável para substituí-lo é o de Oswaldo de Oliveira. Ele dirigiu o Fluminense no Campeonato Brasileiro, mas atualmente está com problemas para renovar seu contrato com o time das Laranjeiras.Oswaldinho, como é carinhosamente chamado no Parque São Jorge, é o preferido da direção corintiana pelo trabalho que realizou na conquista do Campeonato Brasileiro de 1999 e do Mundial da Fifa, em 2000.Com a decisão, o nome de Luxemburgo ganha força para ser o novo treinador do arquirival Palmeiras. Desde sua desclassificação do Campeonato Brasileiro, a equipe do Parque Antártica busca um substituto para a vaga de Celso Roth, ocupada por Márcio Araújo nas últimas rodadas.Desgaste - Citadini explicou que nos últimos cinco dias o clube fez uma ampla avaliação de tudo o que aconteceu no segundo semestre e, em cima disso, definiu-se a troca de toda a comissão. "A avaliação demonstrou nossos erros e, por isso, decidimos tomar essa atitude", afirmou o vice corintiano. "Optamos por fazer agora porque estamos num período adequado para mudanças, fim de ano."Citadini procurou evitar expor as justificativas para a demissão em conjunto. Porém, não é segredo para ninguém que o relacionamento dele com Luxemburgo não era dos melhores desde a derrota para o Grêmio na final da Copa do Brasil.Nos bastidores do Parque São Jorge, o descontentamento do dirigente com a forma como o treinador realizou a reformulação para o segundo semestre foi precipitada. "Nunca mais faremos isso (reformulação) dessa forma", já havia dito o cartola.Sobre o meia Marcelinho, Citadini foi superficial. Com a saída de Luxemburgo, a volta do jogador é vista como praticamente certa para 2002. "No caso do Marcelinho acontece o seguinte. O Corinthians tem um processo contra ele e ele tem um processo contra o Corinthians. Só isso", disse.

Agencia Estado,

12 de dezembro de 2001 | 18h22

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.