Corinthians derrota Vitória por 1 a 0

Pelo menos, o Corinthians venceu. Mas a falta de padrão de jogo, o desentrosamento e a criatividade escassa continuaram sendo marcas do time de Oswaldo de Oliveira nesta quinta-feira no Pacaembu. Menos mal que Jô marcou no começo e o time bateu o Vitória por 1 a 0 no jogo de ida das quartas-de-final da Copa do Brasil. Na semana que vem, o Corinthians pode até empatar para chegar às semifinais. Para um time que discursou antes do jogo que o Vitória era o favorito e que um empate em casa estava de bom tamanho, foi um ótimo resultado. Ainda mais pela atuação do time. O Corinthians venceu, mas continua devendo futebol para os torcedores. Domingo, outra vez no Pacaembu, o time enfrenta o Guarani, pelo Campeonato Brasileiro. Nesta quinta-feira, o time até mostrou um pouco mais de vontade, principalmente nos primeiros minutos, mas só conseguiu o gol de vantagem por causa da falha de posicionamento da defesa do time baiano no lado direito. O lateral Pedro iniciou o jogo subindo sempre para o ataque e deixou uma avenida para o Corinthians. Foi assim que saiu o gol, aos oito minutos. Renato dominou uma bola no meio e viu três corintianos livres à sua esquerda. Passou para Jô, que chutou forte. O goleiro Juninho chegou a tocar na bola, mas não conseguiu evitar o gol. No mesmo setor, o Corinthians ainda teve outras chances. Aos 14, Renato dominou e cruzou para trás. A bola sobrou para Váldson que, livre, chutou para fora. O Vitória não foi nem sombra do time que no domingo goleou o Flamengo por 5 a 1 pelo Campeonato Brasileiro. Cléber e Marcelo SIlva eram presas fáceis para a marcação corintiana e a bola poucas vezes chegou redonda aos pés de Edílson, bem marcado por Betão. Leonardo, o outro atacante, foi completamente nulo. No meio do primeiro tempo, o técnico Agnaldo Liz, do Vitória, conseguiu acertar o posicionamento do time para a cobertura dos avanços de Pedro. Com isso, as chances do Corinthians foram minguando. A última no primeiro tempo foi em um lateral cobrado para Gil, que avançou pela esquerda e chutou forte, mas Juninho defendeu. No segundo tempo, o Corinthians se fechou mais. Fabinho passou a avançar menos e formou um trio de proteção com Rincón e Wendell. Na frente, o time de Oswaldo de Oliveira mostrava suas maiores deficiências. Gil, jogando improvisado como meia, foi razoável no primeiro tempo e sumiu no segundo. Mas voltou a dizer, ao final da partida, que prefere jogar como atacante. A dupla Marcelo Ramos e Jô ainda precisa se entrosar. A sorte do Corinthians é que o Vitória teve uma péssima atuação. No segundo tempo, o time baiano teve mais posse de bola, mas só conseguiu uma boa jogada, com Xavier, aos 17 minutos, em um chute forte que Fábio Costa defendeu. No resto do tempo, o goleiro corintiano só teve trabalho em três cobranças de falta de Pedro. Deu até sono na Fiel.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.