Gualter Naves/Light Press
Gualter Naves/Light Press

Corinthians derruba o líder Cruzeiro no Mineirão

Com um gol de Luciano, time alvinegro prega uma peça no Cruzeiro e consegue a vitória por 1 a 0, em Belo Horizonte

Vitor Marques, O Estado de S. Paulo

09 de outubro de 2014 | 00h05

Artilheiro e também talismã, Luciano mais uma vez saiu do banco de reservas para marcar um gol, como fizera contra o Atlético-MG e contra o Sport. A diferença é que o gol de ontem foi muito mais importante do que os outros. Foi com esse gol que o Corinthians bateu o líder do Campeonato Brasileiro, o Cruzeiro, no Mineirão: 1 a 0. O resultado manteve o time muito perto do grupo dos quatro primeiros do Brasileirão. E deu também um pouco mais de sabor à competição de pontos corridos.

A vitória comprovou a tese de que o Corinthians gosta mesmo é de jogos grandes. Se tivesse um bom aproveitamento também contra equipes que lutam para não cair, estaria brigando ponto a ponto com o próprio Cruzeiro pela liderança.
O resultado e a maneira como conquistou a vitória reforçam o momento do time de Mano Menezes, que é de ascensão.

Foi o terceiro triunfo consecutivo, levando em conta também os 2 a 0 sobre o Atlético-MG, pela Copa do Brasil.
Não foi fácil, é verdade, derrotar o Cruzeiro. Até os 30 minutos do primeiro tempo, os mineiros dominaram o Corinthians. O time de Marcelo Oliveira invertia o jogo com sabedoria e, principalmente, com rapidez. Atacava pelas laterais. E bombardeava Cássio. Era com Marcelo Moreno, pelo alto, Willian e Marquinhos.

Atordoado, o Corinthians ficou preso em seu campo. Fagner e Fábio Santos, ameaçados, fincaram posição na defesa. A missão de Guilherme Andrade, Bruno Henrique e Petros era desarmar e desarmar. Sem a bola, não havia sequer contra-ataques. Malcom não foi páreo para Manoel. Romero desapareceu.

Nesse cenário, foi possível tirar uma conclusão: o Corinthians sentiu mais a ausência de seus titulares do que o Cruzeiro. Os substitutos de Elias e Guerrero tornam o time de Mano muito mais comum do que já é. Marcelo tem mais opções para montar a equipe sem Everton Ribeiro e Ricardo Goulart.

O Corinthians só conseguiu equilibrar o jogo nos 15 minutos finais do primeiro tempo. O time subiu a marcação, saiu de seu campo e Renato Augusto chamou a responsabilidade no meio de campo.

Mano conseguiu reposicionar a equipe com a bola rolando e foi para o intervalo ao menos com a ideia de que era possível conter e levar perigo ao melhor time do campeonato.

No segundo tempo, o Corinthians conseguiu controlar mais o jogo. Bruno Henrique foi de fato um segundo volante e melhorou o meio de campo. Já Romero foi sacado, dando lugar a Luciano, uma alteração mais do que necessária àquela altura.

E o gol foi típico do Corinthians de Mano Menezes. Petros deu o bote na hora certa, aproveitou a indecisão de Henrique e passou a bola para Luciano. Ele ganhou de Leo e bateu cruzado, rasteiro.

A sequência de jogos fora de casa não poderia ter começado melhor para um time que colecionava tropeços como visitante. Sábado, o adversário será o Botafogo, em Manaus.

FICHA TÉCNICA:

CRUZEIRO 0 X 1 CORINTHIANS

CRUZEIRO - Fábio; Mayke, Léo, Manoel e Egídio (Ceará); Henrique, Lucas Silva e Marlone (Dagoberto); Marquinhos, Willian (Alisson) e Marcelo Moreno. Técnico - Marcelo Oliveira.

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Felipe, Anderson Martins e Fábio Santos; Bruno Henrique (Danilo), Guilherme Andrade (Ferrugem), Petros e Renato Augusto; Malcom e Ángel Romero (Luciano). Técnico - Mano Menezes.

GOL - Henrique, aos 28 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS).

CARTÕES AMARELOS - Henrique (Cruzeiro); Cássio e Anderson Martins (Corinthians).

RENDA - R$ 1.509.747,00.

PÚBLICO - 32.958 pagantes.

LOCAL - Estádio do Mineirão, em Belo Horizonte (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.