Corinthians desafia River Plate e história na Libertadores

O Corinthians tenta enterrar o passado na hora de buscar a classificação para as quartas-de-final da Libertadores. O time recebe o River Plate, nesta quinta, às 21h45, no Pacaembu, e precisa de uma vitória por 1 a 0, 2 a 1 ou dois gols de diferença para seguir na competição. Nas duas ocasiões anteriores em que enfrentou argentinos nas oitavas-de-final, o Corinthians chegou em desvantagem para decidir em São Paulo e foi eliminado. Em 2003, diante do próprio River, o time perdeu as duas partidas por 2 a 1. Doze antes, contra o Boca, empatou em 1 a 1, depois de ser derrotado por 3 a 1 na Argentina. Desta vez, no entanto, o time chega embalado, já que perdia por 3 a 1 e marcou nos descontos, numa cabeçada do volante Xavier, gol que reduziu muito a desvantagem da equipe. Xavier, inclusive, ganhou a oportunidade de ser titular, no lugar de Mascherano, expulso no jogo de ida. A única dúvida do técnico Ademar Braga é entre Gustavo Nery e Rubens Júnior, na lateral-esquerda. No River, o técnico Daniel Passarella, que estará no Pacaembu pela primeira vez desde sua frustrada passagem pelo Corinthians, no ano passado, tem problemas para armar a defesa, que não terá Talamonti, expulso em Buenos Aires, e pode ficar sem Cáceres, contundido. O adversário do vencedor desse confronto também sai nesta quinta-feira, às 17h15 (de Brasília): em Assunção, o Libertad recebe o Tigres e precisa da vitória para se classificar, pois no jogo de ida, em Monterrey, houve empate por 0 a 0. O Tigres, treinado pelo brasileiro Ricardo Ferretti, aposta tudo na Libertadores, depois da eliminação no Torneio Clausura mexicano, no último fim de semana. Vantagem em casa O Goiás aposta no bom retrospecto em casa para reverter a vantagem do Estudiantes, que venceu por 2 a 0 o jogo de ida, em Quilmes, e se classificar para as quartas-de-final da Libertadores. O vencedor desse duelo pega o São Paulo. No jogo desta quinta, às 19h15, no Serra Dourada, o Goiás precisa vencer por três gols de diferença para se classificar. Na primeira fase, em casa, bateu o The Strongest por 2 a 0 e o Newell´s Old Boys por 3 a 0. Já classificado, ficou no 0 a 0 com o Union Española. Sem o zagueiro Leonardo e o atacante Souza, suspensos, o técnico Geninho pode abandonar o esquema de três zagueiros e adotar o 4-4-2, com a entrada de Cléber Gaúcho ou de Romerito, recuperado de contusão muscular. No ataque, Nonato entra ao lado de Roni.

Agencia Estado,

04 Maio 2006 | 08h43

Mais conteúdo sobre:
libertadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.