Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Corinthians deslancha no segundo tempo e liquida o Vasco

Após saídas de Love e Fagner, equipe se impõe no Itaquerão

Raphael Ramos, O Estado de S. Paulo

29 de julho de 2015 | 23h59

A vitória por 3 a 0 do Corinthians sobre o Vasco no Itaquerão teve dois capítulos: os primeiros 45 minutos, quando o time pressionou muito e criou pouco, e a etapa final, onde a equipe foi eficiente e “matou” o jogo com extrema facilidade. Com o triunfo de ontem, o Corinthians chegou aos 33 pontos e não deixou o Atlético-MG, com 35, disparar na liderança do Campeonato Brasileiro.

Como já era esperado, o time começou o jogo no embalo da sua torcida e pressionando o Vasco. Com dez minutos, já havia criado duas boas chances de marcar, primeiro com Elias e depois com Vagner Love - que estava livre.

Sem muitas opções, o Vasco recuou ainda mais a marcação, porém acertou o posicionamento dos seus defensores e fechou a entrada da área. O Corinthians tinha mais posse de bola, mas faltava profundidade às jogadas.

Tite inverteu o posicionamento de Malcom e Jadson na tentativa de abrir espaço na defesa vascaína, e a estratégia deu certo. O problema, então, passou a ser o acabamento das jogadas. Vagner Love e Malcom até que tiveram chance de marcar, mas ou finalizaram mal ou fizeram as escolhas erradas. Quando tinham de chutar, tentavam o passe. Quando tinham de passar, tentavam o drible. 

O Vasco mal dava as caras no ataque. Só no primeiro tempo, foram cinco impedimentos do time carioca, sendo três de Jhon Cley. Tite perdeu a paciência com Vagner Love e tirou o atacante no intervalo. Em seu lugar entrou Luciano. O lateral-direito Fagner, com dores musculares, foi substituído por Edílson.

Antes que se pudesse notar alguma mudança no desenho tático da equipe e na postura dos jogadores, saiu o primeiro gol. Mas o fato é que o Corinthians deslanchou depois das substituições. Com apenas um minuto, em jogada pela direita, Edílson tocou para Elias, que rolou para Renato Augusto, de primeira, bater colocado. A bola ainda desviou em Anderson Salles e enganou o goleiro Jordi.

O gol obrigou o Vasco a abandonar o posicionamento extremamente defensivo do primeiro tempo. O time carioca passou a se arriscar um pouco mais, e com isso deu campo de jogo para o Corinthians. O segundo gol, no entanto, acabou saindo em uma jogada de bola parada. Aos 15 minutos, Jadson cobrou escanteio e bola sobrou para Gil, de primeira, encobrir Jordi.

O melhor, no entanto, ainda estava por vir. Aos 31, após linda troca de passes, Luciano rolou para Elias, que chutou cruzado, sem chances para Jordi.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 3 x 0 VASCO

CORINTHIANS - Walter; Fagner (Edilson), Gil, Felipe e Uendel; Bruno Henrique (Ralf), Elias, Jadson e Renato Augusto; Malcom e Vagner Love (Luciano). Técnico: Tite.

VASCO - Jordi; Jean Patrick, Luan, Rodrigo e Christianno; Anderson Salles, Guiñazu, Serginho (Andrezinho) e Jhon Cley; Riascos (Thalles) e Herrera (Emanuel Biancucchi). Técnico: Celso Roth.

GOLS - Renato Augusto, a 1, e Gil, aos 15, Elias, aos 31 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Christianno, Serginho e Luan (Vasco).

ÁRBITRO - Leandro Pedro Vuaden (Fifa/RS).

RENDA - R$ 1.608.159,76.

PÚBLICO - 30.340 pagantes.

LOCAL - Estádio Itaquerão, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.