Washington Alves / Reuters
Washington Alves / Reuters

Corinthians desmente vice do Cruzeiro sobre tentativa de contratar Sassá

Itair Machado disse que o clube paulista ofereceu R$ 10 milhões e o Clayson em troca do atacante cruzeirense

O Estado de S.Paulo

13 de dezembro de 2018 | 14h39

O Corinthians emitiu nota nesta quinta-feira para desmentir as informações do vice-presidente do Cruzeiro, Itair Machado. O dirigente deu detalhes de uma possível tentativa do clube paulista contratar o meia Thiago Neves e o atacante Sassá.

As informações do Corinthians, no entanto, negam apenas as declarações relacionadas ao Sassá. O nome de Thiago Neves não foi citado. O meio-campista estaria na mira do clube para a próxima temporada.

"O Corinthians vem a público desmentir as informações inverídicas prestadas pelo Sr. Itair Machado à imprensa, no sentido de que o Corinthians teria oferecido o atleta Clayson e mais R$ 10 milhões pela transferência do atleta Sassá. O Corinthians jamais fez tal proposta e desafia o Sr. Itair a mostrar qualquer documento ou mesmo mensagem de texto que reflita o que mentirosamente declarou", informou a nota.

Thiago Neves tem mais um ano de contrato com o time mineiro, enquanto Sassá é jogador do Cruzeiro até pelo menos o fim de 2021. Em entrevista à Rádio Itatiaia na noite de quarta-feira, Itair Machado disse que a multa da rescisão do contrato do Thiago Neves é de R$ 30 milhões. "O time de Dubai (no início de 2018) anunciou para o Cruzeiro que pagaria a multa de US$ 10 milhões, mas o Thiago Neves não quis ir, então não pagaram. Não foi o Cruzeiro que não quis vender".

O dirigente afirmou que o Corinthians chegou a oferecer dois jogadores, Marquinhos Gabriel e Clayson, mas indicou que, ao menos no momento, o negócio não interessa ao clube. Sobre Sassá, o vice-presidente afirmou que recebeu uma ligação do procurador do jogador com uma proposta de R$ 10 milhões. "Eu falei que não, pois temos intenção de usar o jogador na Libertadores e por achar R$ 10 milhões pouco. Eu já falei não, imediatamente", afirmou Itair.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.