Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Corinthians deve pagar rescisão ao Al-Wehda e oficializar Carille nesta terça

Técnico volta ao clube paulista após passagem com duração de nove meses pelo futebol árabe

João Prata, O Estado de S.Paulo

04 Dezembro 2018 | 05h00

O Corinthians deve oficializar nesta terça-feira o retorno do técnico Fábio Carille, que levou a equipe alvinegra ao bicampeonato paulista (2017 e 2018) e ao título do Brasileiro do ano passado. O clube fará o pagamento da rescisão contratual de US$ 700 mil (cerca de R$ 2,5 milhões) ao Al-Wehda, da Arábia Saudita, e assim conseguir a liberação do treinador.

Carille deixou o Corinthians em maio e assinou por duas temporadas com o clube árabe. Ele ainda não explicou o motivo de romper com o Al-Wehda. Nos bastidores, comenta-se que se decepcionou com os dirigentes, que não cumpriram a promessa de montar um elenco forte.

Ele retornará com a missão de fazer a equipe paulista voltar a brigar na parte de cima da tabela. Jair Ventura foi demitido na segunda-feira e deixou o time com retrospecto de rebaixado, com aproveitamento de 31,6% dos pontos. Em 19 jogos, foram apenas quatro vitórias, com seis empates e nove derrotas. Pegou o time em oitavo no Brasileirão e o entregou em 13.º.

Jair evitou dar entrevistas nas últimas semanas. Estava preocupado em afastar o Corinthians do rebaixamento. Enquanto isso, Andrés Sanchez começou a tratar sobre a mudança de comando técnico. 

Em Londres, há três semanas, ele se encontrou com Paulo Pitombeira, empresário de Carille, quando iniciou a reaproximação entre clube e técnico. Na última quinta-feira houve um novo encontro entre dirigente e empresário em São Paulo para formalizar detalhes do novo contrato. 

Ao confirmar Carille, o Corinthians espera colocar um fim à queda de rendimento da equipe que começou quando o treinador foi para a Arábia Saudita. Osmar Loss foi o primeiro substituto de Carille. A tentativa era manter a fórmula que havia dado certo com o antecessor: efetivar um treinador da base, com conhecimento do elenco e dos métodos de trabalho do clube. 

Loss, no entanto, deixou a equipe após 25 jogos, com dez vitórias, dez derrotas e cinco empates. Jair saiu-se pior e finalizou o Brasileirão a dois pontos da zona de rebaixamento.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.