Jorge Abrego/EFE
Jorge Abrego/EFE

Corinthians diz que família de Kevin Espada evitou contato

Clube alegou que entoru em contato com a família do adolescente por três vezes, sem sucesso

AE, Agência Estado

14 de março de 2013 | 12h40

SÃO PAULO - O Corinthians publicou nota em seu site oficial, na manhã desta quinta-feira, alegando que tentou, sem sucesso, entrar em contato por três vezes com a família de Kevin Beltrán Espada, boliviano morto após ser atingido por um sinalizador que partiu da torcida corintiana no Estádio Jesus Bermúdez, no último dia 20 de fevereiro, em Oruro, na Bolívia.

O clube disse que resolveu vir a público para falar sobre a tragédia que vitimou o menino de 14 anos de idade, em plena estreia corintiana nesta Copa Libertadores, para deixar claro que não está sendo omisso em relação aos familiares do garoto, a quem já prometeu ajudar financeiramente, embora admita que este tipo de apoio não irá "acabar com a dor da família".

Entretanto, o Corinthians afirmou que a família de Kevin adiou por três vezes o contato com o clube, após tentativas frustradas intermediadas pelo Vice-Consulado Brasileiro em Cochabamba, sendo que a última delas aconteceu nesta quarta-feira.

"Não era intenção da diretoria do Corinthians tratar o contato com a família do jovem Kevin Beltrán Espada de forma pública. Por entender a gravidade da situação e, principalmente, por respeito à memória do menino boliviano, o Corinthians entrou em contato com o Vice-Consulado Brasileiro em Cochabamba para que fizesse o convite formal de uma conversa entre a diretoria do clube e família Espada. Após três contatos com o Vice-Consulado desde o início de março, o Corinthians recebeu da família de Kevin, na manhã da última quarta-feira, mais um pedido de tempo para falar com a diretoria corintiana", garantiu o clube.

Em seguida, o Corinthians ressaltou que "concordou com o novo adiamento e tinha como ideia não tratar o assunto publicamente". "Não é objetivo do clube fazer demagogia. Ação nenhuma vai desfazer o episódio de Oruro. Renda, jogo em homenagem, nada irá acabar com a dor da família. Entretanto, o clube tem por vocação ser solidário com a família, nas necessidades dela e dentro daquilo que o Corinthians puder fazer", completou a nota oficial.

O Corinthians depois finalizou o seu pronunciamento oficial dizendo que "seguirá com respeito ao luto da família e aguardará o tempo que os Espada acharem necessário para estabelecer contato".

No último dia 3 de março, poucas horas antes do clássico entre Corinthians e Santos, no Morumbi, pelo Paulistão, o presidente do time do Parque São Jorge, Mário Gobbi, deixou a impressão de que o clube ainda faria o primeiro contato com os familiares de Kevin Espada.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansKevin Espada

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.