Corinthians diz que Nery negocia transferência à revelia

A dois dias da estréia no Campeonato Paulista, Emerson Leão e a diretoria do Corinthians ganharam mais um problema: o lateral-esquerdo Gustavo Nery faltou aos dois treinos programados para esta segunda-feira, no Parque São Jorge. Mais do que descartado para a estréia no Estadual, nesta quarta, contra a Ponte Preta, no Pacaembu, o jogador está próximo de deixar o clube. De acordo com o site oficial corintiano, o empresário do atleta, Robson Florenço, entrou em contato com o diretor de futebol Edvar Simões explicando que Nery não compareceu aos trabalhos por estar tratando de uma transferência - o nome do clube e o respectivo país não foram revelados.Na mesma nota, Simões afirma que "a atitude do jogador será considerada falta e tratará a situação levando em consideração todas as prerrogativas administrativas". É a segunda vez que Gustavo Nery, que tem contrato até 2009, tenta sair do clube. No ano passado, ele chegou a acertar as bases salariais com o Besiktas, da Turquia, durante o Campeonato Brasileiro, mas a negociação não deu certo.Se a saída de Nery se confirmar, o grupo alvinegro ficará sem lateral-esquerdo, já que César se desligou do clube na última semana para voltar à Itália - tem contrato com a Inter de Milão. Leão já indicou a contratação de Triguinho, do São Caetano, para substitui-lo, mas a negociação está emperrada. O Corinthians não aceita pagar os R$ 300 mil por empréstimo de um ano pedidos pelo clube do ABC e tenta abater o preço oferecendo jogadores.Novela MagrãoOutra dúvida de Leão para o jogo desta quarta é quanto ao volante Magrão. O jogador também está vivendo uma fase de indefinição, já que o Yokohama Marinos, do Japão, reclama o pagamento de 600 mil dólares (R$ 1,3 milhões), pelo empréstimo do jogador. ?Só não jogo contra a Ponte se chegar algum documento oficial proibindo. Mas minha intenção é jogar?, disse o volante.Novela NilmarA Fifa deve dar nesta terça-feira seu parecer sobre o processo que o Lyon move contra o Corinthians pelo não pagamento dos US$ 8 milhões de euros relativos à compra dos direitos federativos do atacante Nilmar.No entanto, o advogado contratado pelo clube brasileiro, Paulo Rogério Amoretty, afirmou que caberá recurso a qualquer uma das partes que perder e o caso só deve ser resolvido em "seis ou oito meses".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.