Corinthians é condenado na Justiça

O Corinthians foi condenado a pagar R$ 182 mil, com juros de 1% ao mês, ao técnico Vanderlei Luxemburgo, por conta de um contrato particular para explorar a imagem, a voz e o nome do treinador quando ele trabalhava no clube. A decisão é da juíza Bianca Ruffolo Chojniak, da 14ª Vara Cível de São Paulo, que também rescindiu o contrato assinado entre as partes, com efeito retroativo a partir de dezembro de 2001.A ação agora acolhida foi proposta por Luxemburgo e pela empresa WL Sport S/C Ltda, que reclamaram o pagamento de duas parcelas em atraso, acrescidas de multa, referentes a novembro e dezembro de 2001. Nesta última, o pagamento foi apenas parcial. O contrato entre Luxemburgo e Corinthians estabelecia o pagamento de 24 parcelas de R$ 130 mil cada uma, a serem quitadas até o final de 2001.O Corinthians alegou que a competência para julgar o caso é da Justiça Trabalhista e não da Justiça Comum. Garantiu que todas as verbas haviam sido pagas, por ocasião da rescisão do contrato trabalhista celebrado com Luxemburgo. Mas a juíza considerou que a alegação não foi comprovada pelo clube, que buscava descumprir o contrato particular "com base em alegações genéricas".A juíza Bianca Ruffolo Chojniak firmou ainda a competência da Justiça Estadual, uma vez que o contrato particular firmado com Luxemburgo é independente do contrato de trabalho firmado entre o Corinthians e seu ex-técnico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.