Corinthians e Cruzeiro empatam: 2 a 2

O Corinthians chegou a estar vencendo por 2 a 0, mas permitiu a reação do Cruzeiro, que conseguiu o empate por 2 a 2, nesta quarta-feira à noite, no Morumbi. Agora, as duas equipes voltam a jogar no dia 3 de abril, em Belo Horizonte, para decidir quem vai para as quartas-de-final da Copa do Brasil. Edílson cumpriu parte da promessa de aniversário ao amigo e adversário Vampeta e fez um dos gols que definiram o empate por 2 a 2. Deivid e Ricardinho marcaram os gols do Corinthians e Sorín fechou o placar. Com esse resultado, o Cruzeiro pode até ficar no 1 a 1, em casa, que garante a vaga. No primeiro tempo, o jogo ficou bastante congestionado no meio-de-campo, com ligeira vantagem para o Corinthians. O time mineiro teve sua chance de abrir o placar, mas esbarrou em um pênalti, não marcado pelo árbitro Carlos Eugênio Símon, de Fábio Luciano em Edílson, aos 25 minutos. O árbitro, com a ?ajuda? do bandeirinha, cometeu outra falha aos 33 minutos, quando Kléber cruzou da direita para Deivid, que, impedido, recebeu a bola para completar a jogada de cabeça e marcar o primeiro gol corintiano. As trapalhadas da arbitragem continuaram no segundo tempo. Aos 10 minutos, Vampeta chutou próximo do gol de Jéfferson. Gil recebeu a bola pela direita, em posição de impedimento, e lançou para Ricardinho, que, sozinho dentro da área, marcou o segundo gol do Corinthians. O técnico Marco Aurélio, no entanto, conseguiu mudar a sorte do Cruzeiro. Com a entrada de Rui e Joãozinho, o time ganhou novo ânimo. Em mais um erro do trio de arbitragem, foi marcado escanteio para o Cruzeiro em uma bola desviada por Ricardinho na linha de fundo. Na terceira cobrança de Joãozinho (as duas outras foram interceptadas pelos corintianos), Edílson superou Dida dentro da grande área e marcou, de cabeça, o primeiro gol cruzeirense. O empate veio com um gol totalmente legal. Dida cobrou tiro de meta e Ricardinho, do Cruzeiro, rebateu de bicicleta. A defesa do Corinthians vacilou, mas não o lateral Sorín, que recebeu a bola e, sozinho, marcou o gol de empate dos mineiros.

Agencia Estado,

13 Março 2002 | 23h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.