Corinthians e Grêmio iniciam decisão

Fritar o peixe, mas com um olho no gato. O velho ditado popular se aplica como uma luva ao Corinthians. O time de Wanderley Luxemburgo faz amanhã contra o Grêmio, às 16 horas, no Estádio Olímpico, em Porto Alegre, a primeira partida da final da Copa do Brasil. Porém, nas entrelinhas, está, de fato, com um olho na vaga para a Taça Libertadores da América, repetindo o feito de 1995. O segundo e decisivo encontro está marcado para o dia 17, desta vez no Morumbi. O discurso deixa claro isso. O grande objetivo é mesmo o torneio continental, fundamental para retomar o projeto de internacionalização do time, traçado pela HMTF e, por enquanto, adormecido. Contudo, jogadores e membros da comissão técnica fazem questão de ressaltar que para chegarem ao objetivo, o caminho é curto, porém tortuoso. "Nos encontramos a apenas dois jogos da Libertadores. Mas eles também", disse Luxemburgo. "No entanto, temos pela frente um adversário muito forte, que possui uma obediência tática excelente." A preocupação com o adversário é tamanha que o treinador contou com um olheiro no Sul. O supervisor Valdir Joaquim de Morais acompanhou as duas partidas que o time de Tite disputou com o Coritiba, pelas semifinais. "Fiquei bem impressionado com a pegada deles. É o famoso estilo copeiro mesmo", observou o "espião" corintiano. Em cima disso, o treinador já definiu a estratégia. "Temos de encarar as duas partidas como decisivas. Nada de mudar o esquema por jogar fora de casa." Ex-time - O zagueiro Scheidt, revelado no Grêmio, e o volante Otacílio, que defendeu o Tricolor gaúcho em 1999, vão enfrentar pela primeira vez a ex-equipe. Os dois destacaram a dificuldade que é vencer o Grêmio no Olímpico. "A torcida concentra-se muito do lado em que está o time adversário, próximo ao vestiário, o que causa uma pressão muito grande", disse o zagueiro. "Mas o clube não tem o costume de maltratar os visitantes. Se conseguirmos superar essas pressões extra-campo, poderemos sair com um bom resultado." Scheidt e o lateral-direito Rogério passaram os últimos dias tratando de contusões. Ambos sofreram pancadas no joelho direito, mas nem cogitam a hipótese de ficar fora do jogo.

Agencia Estado,

09 de junho de 2001 | 19h08

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.