Corinthians é obrigado a vencer o Fenix

As duas derrotas consecutivas por 3 a 0 sofridas para Cruz Azul e Atlético assustaram os jogadores do Corinthians. Após a exibição abaixo da crítica deste domingo, no Pacaembu, diante do time mineiro, alguns líderes do grupo não evitaram desculpas e pediram paciência à torcida. "Nosso maior objetivo é mesmo a Libertadores. E tenho certeza que na quarta-feira contra o Fenix o futebol será melhor. Essas derrotas não vão nos abalar", afirmou Rogério.O lateral admitiu que o time jogou muito mal no Pacaembu. E tentou explicar, sem convencer, os motivos da goleada. "Tomamos dois gols muito rápidos no começo. Depois, tivemos o Ânderson expulso. Aí ficou difícil reagir. Queria vencer para entrar com mais moral no próximo jogo, mas tudo está sob controle. Ainda bem que o jogo não foi no sábado. Pelo menos descansamos mais um dia após a viagem para o México". Para Jorge Wagner, que atuou fora de suas características, o time tem que se acertar rapidamente e esquecer a conquista do título paulista. "Hoje deu tudo errado. Não chegamos ao gol e, consequentemente, tivemos dificuldades para finalizar. Temos, agora, que corrigir os erros". Ao contrário de Rogério, o meia evitou condicionar o resultado à viagem que o time realizou no meio da semana para o México. "Realmente foi desgastante, sofremos com a altitude. Mas não devemos inventar desculpas pelo resultado. Eu entendo o torcedor, que vem ao estádio e quer que o time vença sempre. Mas não é sempre que se joga bem. Agora chega de perder, a Libertadores está afunilando". O técnico Geninho admitiu não ser normal a equipe sofrer seis gols em duas partidas. E lembrou que a responsabilidade aumentou muito para o jogo contra o Fenix. "Já conversamos isso no vestiário. Não dá para esconder que teremos que confirmar nossa classificação na Libertadores. Mas não quero dar desculpas pela derrota para o Atlético. Não contei com quatro jogadores importantes, mas eu sempre disse que no grupo existem peças capazes de suprir as necessidades". Geninho também não contestou a vantagem atleticana no Pacaembu. "O Corinthians não se encontrou. Vários jogadores se posicionaram mal. O Atlético soube administrar a vantagem que construiu. Só lamento que dois gols nasceram de falhas nossas". O meia Renato, que deixou o campo xingado pela torcida, ficou irritado ao ser perguntado se os desfalques corintianos fizeram falta. "O time não joga com apenas 11 jogadores. O importante aqui é o espírito do grupo. Não vou dar desculpas pelo resultado e sim buscar forças para superar este momento". Escalado em lugar de Kleber, o lateral Roger evitou críticas individuais. "Não é momento de culpar A ou B. O time todo foi mal. O Atlético esteve bem e quando a noite não é boa, não dá para fazer muita coisa. Pelo menos corremos muito". O volante Vampeta, que deixou o campo com uma torção no joelho esquerdo, está fora da partida de quarta-feira contra o Fenix. Nesta segunda ele irá se submeter a um exame mais apurado para diagnosticar a gravidade da contusão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.