Corinthians e Palmeiras fazem um clássico esvaziado

De um lado, o Corinthians com a cabeça na final da Libertadores. Do outro, o Palmeiras pensando na decisão da Copa do Brasil. O clássico de maior rivalidade do futebol paulista, que já teve batalhas épicas, disputas de títulos e até episódios quentes, estará esvaziado neste domingo, a partir das 16 horas, no Pacaembu, porque os dois times deixam o Brasileirão em segundo plano neste momento.

DANIEL AKSTEIN BATISTA E FÁBIO HECICO, Agência Estado

24 de junho de 2012 | 09h31

Os eternos rivais entram na sexta rodada do Brasileirão ocupando a zona de rebaixamento e ainda em busca da primeira vitória. O Corinthians é o lanterna com apenas um ponto, enquanto o Palmeiras soma dois. Mesmo assim, ambos vão poupar titulares neste domingo, já que estão mais preocupados com as decisões que terão pela frente nos próximos dias, seja na Libertadores ou seja na Copa do Brasil.

Novamente com a sua escalação reserva, já acostumada a perder neste Brasileirão, mas reforçada pela volta de Paulo André na defesa e Liedson ao ataque, o técnico Tite espera conseguir a recuperação neste domingo. "Vamos brigar para colocar o Corinthians onde ele merece, que é na parte de cima da tabela. Confio nessa equipe e está na hora de vencermos", afirmou o comandante corintiano.

A escalação dos reservas tem total apoio da direção, o que tranquiliza Tite em caso de nova derrota. "Se eles disserem que é para pôr força máxima, todos jogam", chegou a brincar o treinador, sobre a rivalidade histórica entre os clubes, que desta vez será deixada de lado por metas maiores. Assim, o Corinthians não terá um único titular em campo no clássico deste domingo no Pacaembu.

O Palmeiras, por sua vez, deve poupar apenas alguns titulares no clássico, como o atacante Barcos, que sequer foi relacionado por Felipão e será poupado por causa do cansaço provocado pela sequência de jogos que vem disputando. O treinador explica que têm jogadores muito desgastados no elenco, como Thiago Heleno e Marcos Assunção. Mas também pode escalar outra peças importantes da equipe, como Henrique e Mazinho, já que a final da Copa do Brasil, contra o Coritiba, só vai começar no dia 5 de julho - na Libertadores, a decisão inicia na quarta-feira.

Mas, independentemente do resultado do clássico deste domingo, Felipão já está satisfeito com seus jogadores por terem chegado à final da Copa do Brasil. "Quando eu vim em 2010, a intenção era melhorar o time e disputar títulos. E só consegui isso agora. O resto não andava como eu esperava. Alguma melhora vem acontecendo no nosso time e temos que parabenizar os jogadores", afirmou o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.