Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Corinthians e Santos empatam em clássico com tempos distintos

Corintianos são melhores no 1º tempo e santistas crescem depois

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

05 de abril de 2015 | 18h25

O encontro entre os dois melhores times do Campeonato Paulista terminou empatado por 1 a 1, neste domingo, no estádio Itaquerão, em São Paulo, pela 14.ª e penúltima rodada. E foi justo. Se o Corinthians esteve melhor nos primeiros 45 minutos, quem jogou mais na etapa final foi o Santos.

Restando apenas uma rodada para o fim da primeira fase, o resultado não provocou nenhuma mudança no Estadual. O Corinthians continua com a melhor campanha do campeonato, seguido do Santos (36 a 31 pontos), e a vantagem de sempre decidir em casa no mata-mata se manter a liderança na pontuação nos próximos jogos.

Apesar de ter passado apuros no segundo tempo, o Corinthians continua invicto na temporada. Já são 22 jogos sem ser batido. No Itaquerão, a série sem derrotas é de 29 jogos. Mas é o primeiro clássico que o time de Parque São Jorge não vence em sua nova casa.

Após um início de jogo truncado, no qual as duas equipes não tinham espaço nem para tentar finalizações de longe, o Corinthians assumiu o controle da partida a partir dos 10 minutos. A equipe passou a manter a posse de bola no campo de ataque e as chances de gol começaram a surgir em sequência. Acuado, o Santos contava apenas com a boa atuação do goleiro Vladimir para brecar as investidas dos donos da casa.

A estratégia do técnico santista Marcelo Fernandes de povoar o meio de campo com Elano, no lugar de Geuvânio, não dava certo e o Corinthians tomava conta do jogo. Na base das triangulações que o treinador Tite tanto treina durante a semana, o time da casa fazia os santistas correrem de um lado para o outro sem conseguir roubar a bola.

Aos 14 minutos, o goleiro santista fez a sua primeira boa defesa. Renato Augusto deixou Elano no chão e arriscou de fora da área - Vladimir espalmou para escanteio. Mas foi aos 20 que ele teve o grande momento no clássico. Renato Augusto bateu de fora da área e acertou a trave. No rebote, Guerrero cabeceou e Vladimir conseguiu se recuperar a tempo de desviar para o travessão. A bola voltou para o peruano, que parou mais uma vez em defesa espetacular de Vladimir.

Guerrero desperdiçou outra grande chance nove minutos depois. Renato Augusto desviou de cabeça e a bola sobrou dentro da área limpa para o atacante, que tinha tempo de dominar, mas preferiu bater de primeira e facilitou a vida de Vladimir. Aos 40, novamente pela esquerda, Guerrero parou mais uma vez no goleiro santista.

De tanto insistir, o gol do Corinthians saiu em uma jogada pelo alto. Aos 41 minutos, Jadson cobrou escanteio e Felipe apareceu livre para desviar de cabeça e abrir o placar.

No segundo tempo, os papéis se inverteram. Quem voltou melhor foi o Santos. O time abandonou a postura defensiva da etapa inicial e passou a jogar mais no ataque. O Corinthians, em contrapartida, afrouxou a marcação e deu campo de jogo ao rival.

Assim, o gol de empate não demorou a sair. Aos 13 minutos, Robinho fez o passe para Chiquinho, que foi à linha de fundo e pegou a defesa corintiana desprevenida para mandar a bola na cabeça de Ricardo Oliveira.

O gol renovou o ânimo do Santos. A equipe não lembrava em nada aquele time apático do primeiro tempo, facilmente dominado pelo Corinthians. O Santos passou a dar as cartas do jogo. Por isso, esteve mais próximo de virar do que de levar o segundo gol, mas o placar não ficou no 1 a 1 até o final.

FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 1 x 1 SANTOS

CORINTHIANS - Cássio; Fagner, Felipe, Gil e Uendel; Ralf, Elias, Jadson e Renato Augusto (Petros); Emerson e Guerrero (Vagner Love). Técnico: Tite.

SANTOS - Vladimir; Victor Ferraz, David Braz, Werley e Chiquinho (Cicinho); Valencia, Renato, Elano (Geuvânio) e Lucas Lima; Robinho (Gabriel) e Ricardo Oliveira. Técnico: Marcelo Fernandes.

GOLS - Felipe, aos 41 minutos do primeiro tempo; Ricardo Oliveira, aos 13 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Fagner e Emerson (Corinthians); Valencia, Victor Ferraz, Geuvânio e Cicinho (Santos).

ÁRBITRO - Vinícius Gonçalves Dias Araújo.

RENDA - R$ 1.833.746,95.

PÚBLICO - 32.199 pagantes.

LOCAL - Estádio Itaquerão, em São Paulo (SP).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.