Corinthians e Santos fazem duelo paulista em Araraquara

O Santos iniciou o Campeonato Brasileiro sob a desconfiança de como se portaria sem sua grande estrela, Neymar. O Corinthians era o dono da bola, campeão estadual em cima do próprio rival e cheio de planos para a competição. Cinco meses depois, ambos se reencontram em condições completamente distintas e com papéis invertidos. Enquanto os santistas procuram se manter firmes na luta por vaga à Copa Libertadores, os corintianos chegam abalados por eliminação da Copa do Brasil e debaixo de intensa pressão dos próprios dirigentes e da torcida.

FABIO HECICO E SANCHES FILHO, Agência Estado

27 de outubro de 2013 | 07h13

A Arena Fonte Luminosa, em Araraquara (SP), terá lotação máxima neste domingo, às 16 horas, para o quinto encontro do ano, desta vez pela 31.ª rodada da competição nacional. Um combate que promete adrenalina do início ao fim. De um lado, o cambaleante Corinthians tenta se reerguer após duro golpe do Grêmio na Copa do Brasil. O discurso é de honrar as tradições do clube e tentar arrancada na competição para ainda sonhar por algo maior do que apenas de livrar do rebaixamento.

Do outro, os santistas querem aproveitar a semana de treinos livres para ganhar no físico e nocautear um concorrente, ainda que distante, da briga pela última vaga à América.

O tom de decisão figura de ambos os lados. E a promessa é de jogo franco em Araraquara. "Chacoalhada não faz um time jogar mais, o que faz é ter tecnicamente uma condição boa individual, estar confiante, o técnico fazer modificações e encontrar o time ideal. O fato de ser um clássico te remete a isso. Esperamos iniciar uma nova sequência boa, que gere confiança ao jogador para eles produzirem mais", disse o técnico Tite, sem esconder que procurou dar uma injeção de ânimo no time.

A meta é dar a volta por cima rápido. Curiosamente, no primeiro turno, na Vila Belmiro, quem vivia bom momento era o Corinthians, enquanto os santistas vinham de 8 a 0 para o Barcelona e temiam nova derrota. O encontro terminou 1 a 1 com o Santos mandando no jogo e bem próximo da virada. Tite usou esse jogo de exemplo.

Neste domingo, com uma equipe sólida, os visitantes entram como favoritos enquanto que os mandantes tentam evitar novo vexame e o fim da paz com a torcida. O técnico Claudinei Oliveira aproveitou bem a semana livre para recuperar fisicamente os mais desgastados e depois insistiu em treinos técnicos, com ensaio de jogadas de ataque, exigindo toques rápidos e muita movimentação ofensiva. O time está pronto até para neutralizar a marcação de pressão que o adversário deve impor no início do jogo. "Estamos mais descansados e tivemos um tempo da dar treinos técnicos", disse o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.