Corinthians é só dúvidas contra o Juventus

Caso o Corinthians troque de técnico, quem chegar terá muitos problemas para montar o time que enfrenta o Juventus, dia 26, pelo Campeonato Paulista. Além dos seis jogadores machucados, Rincón (terceiro cartão amarelo) e Fabinho (expulso contra o São Paulo) são desfalques certos. Mas o grande drama do futuro técnico, na hipótese de vir um, é a forte pressão que o time deve enfrentar. Lanterna do grupo 1, com apenas 5 pontos ganhos, a ameaça do rebaixamento já se cristalizou e deve transformar o Parque São Jorge num verdadeiro caldeirão.Pior: a maior parte dos jogadores contundidos tem poucas chances de enfrentar o Juventus. Marcelo Ramos (fratura na fíbula esquerda) ficará dois meses em recuperação; Rafael Silva (ruptura do ligamento cruzado do joelho direito), seis; Rogério (lesão na retina esquerda) vai depender de um novo exame; e Rodrigo (estiramento na coxa direita) está fora. Só o atacante Gil (inflamação no púbis) tem alguma chance de enfrentar o Juventus. Nesta segunda-feira ele voltou a treinar leve após 11 dias de tratamento médico, mas sua liberação ainda depende de uma carga maior nos treinamentos.Quanto ao lateral-esquerdo Moreno, que levou uma forte pancada na coxa num choque com Grafite e saiu do Morumbi com dificuldades até para andar, as perspectivas são bem mais otimistas, levando-se em consideração que o jogo contra o Juventus será apenas no dia 26. "Se tivesse jogo amanhã ele estaria fora; se tivesse no sábado seria dúvida", compara o médico Paulo Faria. "Mas até o dia 26 há tempo suficiente para a recuperação", estima.Além dos inúmeros desfalques, o time está fragilizado emocionalmente. Os jogadores recém-chegados, especialmente os mais jovens, estão apavorados com as cobranças. Temem que o jogo contra o Juventus possa transformar o ambiente num caos se o time não vencer. E mais: os dois jogos seguintes - considerados dificílimos - são fora de casa: a Ponte Preta em Campinas e o América em São José do Rio Preto. Por tudo isso, a própria diretoria está tendo dificuldades para encontrar alguém disposto a herdar o cargo de Juninho Fonseca.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.