Corinthians é vice-campeão paulista

A nota média foi boa dos garotos do Corinthians que hoje tiveram de mostrar serviço ao técnico Daniel Passarella, na última chance antes da temível lista de dispensa. Na vitória por 3 a 0 sobre a Portuguesa Santista, a formação reserva fez bonito e garantiu ao clube o vice-campeonato. Dinelson marcou um golaço ? nota 8 para ele ?, Wilson também fez um e foi mais útil que Bobô em todas suas chances na equipe. Merece 7,5. Pelo que jogou hoje, Jô assinou embaixo a possível dispensa: 5,5. O desconhecido Ji-Paraná atuou 90 minutos e apareceu mais do que o esperado: 7. O resultado levou o Corinthians a 37 pontos, igualando-se ao Santos, mas levando a melhor por ter 11 vitórias, contra 10 da equipe litorânea. Os jogadores, entretanto, estão pouco interessados na classificação final. O que importa é a reunião e amanhã ou depois entre Passarella e o chefão da MSI, o iraniano Kia Joorabchian. Na pauta do encontro, a relação de dispensados. Ou emprestados, como prefere dizer a diretoria. "Ninguém vai ser excluído do grupo, apenas serão negociados com outros clubes", esclareceu o diretor do fundo de investimentos, Paulo Angioni. O treinador deve escolher de cinco a sete nomes, que serão oferecidos inicialmente ao Flamengo. Se a partida de hoje teve algum peso na avaliação do técnico argentino, Wilson e Dinelson merecem mais chances. O primeiro abriu o placar após uma falha do ex-goleiro corintiano Ronaldo. Mas não fez só isso. Agarrou com unhas e dentes a oportunidade. Dele saiu também o passe, consciente, para o gol de Rosinei, aos 27 do segundo tempo. Aos 39 da etapa inicial, ponto para o lateral-esquerdo Fininho (outro ameaçado), que conseguiu enfiar bola para Dinelson. Vários pontos para o meia-atacante, que avançou e com um único toque tirou zagueiro e goleiro, deixando o gol aberto para concluir. Os torcedores do Corinthians não entendem como o ex-jogador do Guarani não tem mais espaço na equipe. Foi Dinelson o principal responsável pelo título corintiano na Taça São Paulo de Juniores, no começo do ano. Depois disso, bastava ser utilizado entre os titulares para brilhar novamente. Como contra o União São João, na goleada por 6 a 1 no Estadual. Passarella estava nas arquibancadas, em seu primeiro contato mais próximo com o elenco. O treinador, no entanto, nunca mostrou boa vontade com o atleta. Tanto que ele só entrou hoje porque Hugo, logo no início, saiu machucado. Do mais, Elton leva 6,5, mesma nota de Bruno Octavio. O primeiro entrou no lugar de Jô, que mais uma vez deixou a desejar. Elton deu belo passe para Wilson (desperdiçar) no fim do duelo com a Lusa Santista. Realizou outras jogadas, porém, faltou entrosamento para mostrar o futebol que costuma apresentar nos treinos. Além de ter sido a derradeira partida do Corinthians no Paulista de 2005, foi o último jogo que não valia nada este ano para o clube. Daqui para frente terá o Figueirense pela Copa do Brasil (quarta-feira, o primeiro confronto) e o Campeonato Brasileiro - domingo, estréia diante do Juventude, no Pacaembu. Na saída de campo, muita festa dos vencedores e emoção de Ronaldo, goleiro da Lusa Santista e ainda ídolo do Corinthians, time que defendeu nas décadas de 80 e 90. "É minha saída da Portuguesa, clube onde tive grandes momentos", disse, com os olhos marejados." Mesmo defendendo o hoje adversário, teve seu nome gritado pelos torcedores rivais. "Também adoro os corintianos e sei que gostam de mim", declarou.

Agencia Estado,

17 de abril de 2005 | 19h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.