Corinthians em clima de união e concentração para quarta

Time de Parque São Jorge decide vaga na final da Copa do Brasil contra o Botafogo no Morumbi

Marcel Rizzo, Jornal da Tarde

25 de maio de 2008 | 16h44

Serão quase 70 mil corintianos no Morumbi no jogo de quarta-feira, mas o time do Corinthians, que precisa vencer o Botafogo por 1 a 0 ou por dois gols de diferença para se classificar à final da Copa do Brasil, terá alguns torcedores especiais: cinco jogadores do elenco que não vão poder estar em campo. Quatro estão suspensos - Carlos Alberto, André Santos, Fabinho e Lulinha - e um não pode jogar pelo clube na competição, porque já defendeu o São Caetano: Douglas. Douglas foi o destaque do Corinthians na vitória por 1 a 0 sobre o ABC, sábado, em Natal. Afinal, ele fez o gol que manteve o 100% de aproveitamento corintiano na Série B do Brasileiro. Agora, na Copa do Brasil, ele ficará só na torcida. Mas não pretende ir ao Morumbi. "No Rio de Janeiro [no primeiro jogo contra o Botafogo, na semana passada], foi muito complicado, fiquei nervoso demais, acabei com as unhas. Já decidi que prefiro ficar em casa na quarta-feira. Acho que vou sofrer menos. No estádio eu fico com muita vontade de invadir o gramado", explicou Douglas. Os outros quatro desfalques corintianos, no entanto, prometem ir ao Morumbi na quarta-feira. Fabinho, por exemplo, contou que o atual elenco do Corinthians é o mais unido do que aquele de sua passagem anterior pelo clube, em 2002 e 2003. "Não tem como deixar de ir ao campo. Somos uma família. Vou estar lá no ônibus, no aquecimento, na preleção. Acho que essa força pela classificação é fundamental", explicou o jogador. Ao ouvir que Douglas prefere ficar em casa, Fabinho deu de ombros. "Cada um tem sua opção, o jeito que prefere. Era até melhor ficar em casa mesmo, porque você esconde o sofrimento dos outros. Mas quero poder estar no campo para comemorar com o grupo a classificação que tenho certeza que vai chegar", avisou o volante. Os jogadores corintianos ficaram concentrados dez dias. Eles foram liberados somente na noite deste domingo, após a viagem de volta de Natal para São Paulo. Nesse período, o trajeto foi Brasília (3 a 1 no Gama, no dia 17), Rio de Janeiro (derrota de 2 a 1 para o Botafogo, no dia 20) e Natal (vitória sobre o ABC, por 1 a 0, no último sábado). Na noite desta segunda-feira, o grupo corintiano novamente já deve ficar concentrado, até a hora do jogo decisivo de quarta, contra o Botafogo. Os quatro jogadores suspensos e Douglas estão livres do esquema imposto pela comissão técnica, mas prometem dar uma passadinha no hotel para apoiar os companheiros. "É um momento de decisão, então temos que partir para o sacrifício. Quantos mais ficarmos juntos, ficarmos ligados apenas na partida será melhor", comentou o lateral-esquerdo André Santos, outro que não poderá enfrentar o Botafogo. O discurso é repetido pelo técnico Mano Menezes, que lembra um detalhe importante para cobrar a dedicação do grupo: "Nós ganhamos muito bem, acima da média do povo brasileiro. Futebol é uma profissão diferenciada e por isso temos que honrar o que recebemos. Eles [jogadores] sabem que todo sacrifício tem a recompensa no futuro."

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansCopa do Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.