Reprodução/ Twitter
Reprodução/ Twitter

Corinthians embarca para o Rio com festa da torcida no aeroporto

Delegação contou com apoio da torcida organizada, que está proibida de ir ao Maracanã por causa de briga e 2016

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

11 Setembro 2018 | 19h52

Centenas de torcedores atenderam à convocação da principal torcida organizada do Corinthians feita nas redes sociais e compareceram ao embarque da delegação corintiana para o jogo com o Flamengo, quarta-feira, pela semifinal da Copa do Brasil, no Maracanã.

Na noite desta terça-feira, os corintianos ocuparam os principais acessos ao aeroporto de Guarulhos e fizeram festa para o ônibus com os jogadores. Uma estimativa extraoficial feita pelos policiais presentes apontou cerca de 800 torcedores.

A Gru Airport, adminstradora do aeroporto, preparou um esquema especial para evitar confusões nos saguões. Os jogadores não percorreram as áreas comuns do aeroporto. A entrada do ônibus foi feita por um portão próximo ao hotel Pullman. "A chegada dos atletas será feita em esquema especial de segurança determinado pelos órgãos de segurança e alinhado com o clube", dizia a nota oficial da administradora divulgada antes do embarque. 

A torcida organizada decidiu fazer a convocação para o aeroporto, pois está proibida de frequentar o estádio carioca em função de uma briga em outubro de 2016. Os conflitos mais graves aconteceram no setor dos visitantes do Maracanã. Como resultado, 27 corintianos ficaram presos e só foram soltos pela Justiça do Rio em janeiro de 2017, quatro meses depois.  

O técnico Jair Ventura deve montar um esquema defensivo para o primeiro jogo das semifinais. No período do treinamento que foi aberto à imprensa, na tarde desta terça-feira, o técnico tirou Pedrinho do time titular do Corinthians e escalou três volantes (Ralf, Gabriel, Douglas). A formação utilizada foi: Cássio, Fagner, Léo Santos, Henrique e Avelar; Ralf, Gabriel, Douglas e Jadson; Clayson e Romero.

Mais conteúdo sobre:
Corinthians Flamengo Copa do Brasil futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.