Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Corinthians empata com o Atlético-MG no jogo de entrega da taça

Alvinegro sai perdendo, vira com golaço de Marquinhos Gabriel, mas leva o empate diante de 46 mil torcedores

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

26 Novembro 2017 | 06h57

Quando a festa está marcada, não há imprevisto que atrapalhe. Por isso, neste domingo, o empate em 2 a 2 do Corinthians com o Atlético-MG, pelo Campeonato Brasileiro, foi incapaz de interferir no clima de comemoração pela conquista do sétimo título nacional. A arena recebeu o segundo maior público do ano e os 46 mil presentes vibraram com o hepta e viram um jogo bastante movimentado.

+ TEMPO REAL: Confira a narração da partida

+ Cássio exalta honra de erguer a taça: 'Fiquei até um pouco nervoso'

O Corinthians bem que tentou não ser atrapalhado pelo clima de euforia da torcida e pela expectativa pela entrega da taça. O campeão brasileiro buscou apresentar um futebol à altura da campanha e não exibir relaxamento. Por isso, tratou de pressionar o adversário desde o começo do jogo, com tabelas rápidas e chutes de fora da área.

A partida foi um grande teste de comprovação da força e do empenho de quem já está com o título garantido. As dificuldades vieram logo no primeiro tempo, pois o time saiu atrás, aos 28 minutos. O venezuelano Otero cobrou falta com perfeição e fez 1 a 0. A desvantagem era uma injustiça, pois o Corinthians dominava e tinha acertado o travessão poucos antes de ficar atrás no placar.

+ Carille conta que assédio europeu quase tirou título do Corinthians

+ Presidente do Corinthians critica Pablo: 'Estava esquecido na França'

Logo depois o placar da partida ficou mais adequado às atuações. Aos 35 minutos, Jadson cobrou falta, a bola passou por todos os jogadores e entrou no canto esquerdo de Victor. Foi a senha para a torcida voltar a gritar "é, campeão" com mais força e confiança, afinal o estádio lotado queria celebrar a cerimônia do título brasileiro com uma vitória.

Com grande liberdade pela esquerda, com Clayson e Arana, o Corinthians não se assustou com a dificuldade inicial. O campeão brasileiro resgatou o clássico 4-1-4-1 no começo do segundo tempo, com a entrada de Marquinhos Gabriel para tentar explorar também o jogo pelo lado direito. A escolha foi certeira e dos pés do substituto saiu o belo gol da virada, um chute cruzado aos 12 minutos.

O Atlético-MG não desistiu e quis atrapalhar a festa corintiana. Otero quase fez gol olímpico e logo depois cobrou escanteio para Fred empatar, aos 19. O atacante ainda perdeu grande chance, ao driblar Cássio e chutar por cima, com o gol vazio. Era um alerta para o Corinthians manter a concentração e deixar para segundo plano a festa do título, embora do lado de fora do gramado já começava a ser armado o pódio para o cerimonial do título.

Aos poucos o fim do jogo se aproximava e o empate pareceu de bom tamanho para todos. A torcida, por exemplo, não reclamou ao não ter atendido o apelo para o meia Danilo entrar em campo. Mais cedo, também ficou indiferente à falha de Cássio, que não dominou a bola após um recuo e por pouco não sofreu gol contra. A festa já era mais do que merecida.

 


FICHA TÉCNICA

CORINTHIANS 2 X 2 ATLÉTICO-MG

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pedro Henrique e Arana; Gabriel e Camacho (Marquinhos Gabriel); Jadson (Pedrinho), Rodriguinho (Maycon) e Clayson; Jô. Técnico: Fábio Carille.

ATLÉTICO-MG: Victor, Marcos Rocha, Leonardo Silva, Gabriel, Fábio Santos, Yago, Elias, Otero (Rafael Moura) e Valdívia (Luan); Robinho e Fred (Cazares). Técnico: Oswaldo de Oliveira

Gols: Otero, aos 28, e Jadson, aos 35 minutos do primeiro tempo. Marquinhos Gabriel, aos 12, Fred, aos 19 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos: Camacho, Clayson, Marcos Rocha

Público: 46.030 pagantes

Renda: R$ 2.892.594,00

Árbitro: Wagner Magalhaes (RJ)

Local: Arena Corinthians, em São Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.