Fábio Motta/Estadão
Fábio Motta/Estadão

Corinthians empata com o Vasco, tem ajuda do São Paulo e é campeão brasileiro

Gol de Love e vitória do tricolor no Morumbi garantem o hexa

RAPHAEL RAMOS, O Estado de S. Paulo

20 de novembro de 2015 | 00h21

O Campeonato Brasileiro está manchado. De preto e branco. Com três rodadas de antecedência, o Corinthians conquistou nesta quinta-feira o sexto título nacional. A taça veio antes mesmo do fim do empate por 1 a 1 com o Vasco, em São Januário. Aos 39 minutos do segundo tempo, a partida entre o vice-líder Atlético Mineiro e o São Paulo, no Morumbi, já havia terminado e, com a vitória por 4 a 2 do time paulista, o título já estava sacramentado. O Corinthians chegou a 77 pontos e o Atlético ficou nos 65.

Apesar de o técnico do Atlético, Levir Culpi, ter dito que a arbitragem tinha manchado o campeonato, os números da campanha corintiana são incontestáveis. A equipe tem o melhor ataque e a defesa menos vazada. É também o time que tem melhor desempenho jogando como mandante e visitante. O título retoma a supremacia paulista no País. Um clube do Estado não ganhava o Brasileirão desde 2011, justamente quando o Corinthians foi o campeão.

O time alvinegro vive uma "década de ouro" com média superior a um título por ano. Além do Brasileiro de 2011, o clube conquistou Paulista (2013), Libertadores (2012), Mundial (2012) e Recopa Sul-Americana (2013). Todas as seis taças foram conquistadas com Tite, que nesta quinta-feira superou o lendário Oswaldo Brandão e se tornou o técnico mais vencedor da história do Parque São Jorge. No Corinthians, Brandão soma cinco títulos: Torneio Rio-São Paulo (1953, 1954 e 1966) e Paulista (1954 e 1977).

O título coroa uma campanha de recuperação do Corinthians. O time começou o campeonato desacreditado, depois das eliminações no Campeonato Paulista e na Libertadores. A situação se agravou com as saídas de Emerson e Guerrero para o Flamengo. Tite, no entanto, soube reconstruir a equipe e o Corinthians, a partir da 18.ª rodada, assumiu a liderança e não largou mais.

O jogo em São Januário foi nervoso e equilibrado. Tite não deu folga para Gil, Elias e Renato Augusto e escalou o trio que foi titular da seleção brasileira na vitória por 3 a 0 sobre o Peru, na última terça-feira, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo de 2018. Os três seguiram de Salvador direto para o Rio, onde encontraram o restante do elenco alvinegro à noite.

Apesar de o trio aumentar a qualidade técnica do Corinthians, a equipe perdeu força e, com isso, deu campo de jogo para o Vasco. As primeiras chances de gol foram do time carioca. Aos 15 minutos, por exemplo, Cássio salvou com a perna esquerda um chute de Rafael Silva.

O Corinthians teve muita dificuldade para sair com a bola dominada. Malcom e Vagner Love não conseguiam receber a bola em condições de finalizar. Na defesa, o time não era compacto como foi em durante todo o campeonato e dava muito espaço para o adversário.

No segundo tempo, a tensão aumentou. Os gols começaram a sair no Morumbi. Primeiro o Atlético Mineiro saiu na frente. Depois, o São Paulo empatou. Em São Januário, o zagueiro vascaíno Rodrigo foi expulso aos 15 minutos após dar um golpe de caratê em Malcom. Mesmo com um jogador a mais, o Corinthians parecia jogar "amarrado". A ansiedade tomava conta dos jogadores.

E, em uma falha da defesa, o Vasco saiu na frente. Aos 26 minutos, Julio Cesar tabelou com Nenê pela esquerda e bateu na saída de Cássio para fazer 1 a 0.

O São Paulo virou o placar no Morumbi e, independentemente do resultado da partida em São Januário, o Corinthians seria campeão. Mas, para fechar o título com chave de ouro, a equipe não poderia sair de campo derrotada. Por isso, Tite colocou o time no ataque e coube a Vagner Love, aos 36 minutos, fazer o gol que confirmou o Corinthians como melhor time do País.

FICHA TÉCNICA

VASCO 1 x 1 CORINTHIANS

VASCO - Martín Silva; Madson, Luan, Rodrigo e Julio Cesar; Serginho, Diguinho (Rafael Vaz), Andrezinho e Nenê; Rafael Silva (Jorge Henrique) e Riascos (Eder Luis). Técnico: Jorginho.

CORINTHIANS - Cássio; Edilson, Felipe, Gil e Guilherme Arana; Ralf (Bruno Henrique), Elias (Lucca), Jadson e Renato Augusto (Rodriguinho); Malcom e Vagner Love. Técnico: Tite.

GOLS - Julio Cesar, aos 26, e Vagner Love, aos 36 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Diguinho (Vasco); Jadson, Lucca e Edilson (Corinthians).

CARTÃO VERMELHO - Rodrigo (Vasco).

ÁRBITRO - Anderson Daronco (Fifa/RS).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio de São Januário, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.