Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Corinthians empata e é vaiado

O Corinthians parou no Campeonato Brasileiro. Não vence há quatro partidas e não consegue dar um salto significativo na tabela de classificação. Na abertura da 36ª rodada, hoje, era o 10º colocado e não foi além da 8ª posição ao empatar por 0 a 0 contra o Coritiba, no Pacaembu. A arrancada prometida pelo técnico Tite ficou no sonho. E a vaga na Libertadores de 2005, muito distante. Por isso, a torcida vaiou o time ao final da fraca partida contra o modesto time paranaense. Até que os atletas tentaram responder no campo. No primeiro tempo, saíram com tudo para conseguir um gol antes dos 15 minutos. Tiveram três boas chances, mas não marcaram. E levaram um susto quando Vital carimbou a trave de Fábio Costa, aos 9. Para complicar, Alberto saiu, aos 15, com luxação no ombro direito. Alberto foi substituído por Jô, troca que obrigou uma mudança tática. Jô não é de ficar na grande área como referência, papel que cabe muito bem em Alberto. Prejuízo para Gil que, de construtor das jogadas para Alberto, teve de se virar para ser o homem da área.Ele bem que tentou e, aos 34, quase abriu a contagem. O Coritiba só marcou e apostou nos contra-ataques que não deram certo. No segundo tempo, Tite voltou com o atacante Alessandro na vaga do ala Renato. Mudança para deixar o Corinthians mais ofensivo e encurralar o time paranaense. Antônio Lopes respondeu colocando Alemão na vaga do meia Ricardinho. O Coritiba, com a troca, também ficou com três atacantes. E os dois times abriram um enorme espaço no meio-de-campo. Bom para Filipe Alvim, que arrancava do seu campo sem marcação e só parava derrubado próximo da grande área. Conseguiu três faltas que não foram aproveitas pelos seus companheiros. Do lado paranaense, nem isso. O time chegou pouco na zona de gol. Fábio Costa quase não teve trabalho. Apenas no finalzinho do jogo correu algum risco quando não havia mais estratégia e sim desespero das duas equipes. O último lance foi do Corinthians: cruzamento de Gil que Alessandro, de cabeça, mandou para fora. Um motivo a mais para as vaias da torcida e manter o time estacionado no Brasileirão.

Agencia Estado,

16 de outubro de 2004 | 18h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.