Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Corinthians, enfim, ganha um artilheiro

Depois de o Corinthians não conseguir contratar Reinaldo, do Paris Saint-Germain, e viver às custas de gols dos seus zagueiros, na noite de quarta-feira, o clube voltou a ter um artilheiro."Para mim é claro: o Corinthians tem elenco bom. O problema era a falta de confiança. Mostramos que temos personalidade. Eliminamos o Fortaleza diante do estádio lotado e do descrédito da imprensa. Começamos uma nova fase", promete Marcelo Ramos.O atacante havia prometido: assim que se recuperasse da fratura na perna direita, mostraria que o Corinthians teria um goleador verdadeiro."Falei porque sei do meu potencial. O jogador precisa mostrar que não tem medo de assumir responsabilidades. Fiz gols nos times por onde passei. Não seria diferente no Corinthians."Marcelo Ramos além de mostrar confiança, faz questão de passar a quem não tem. Ao marcar o gol que classificou o time, o atacante gritou com Gil, autor do cruzamento que fez a bola chegar à sua cabeça."Eu gritei que ele é f. porque ele é f. mesmo. Só um atacante burro não valorizaria ter ao seu lado o Gil. Ele está sendo muito cobrado, tendo a obrigação de marcar gols. Só que sua especialidade é servir, dar passes, deixar os companheiros livres para marcar. É um grande jogador, só precisa redescobrir isso", resume Ramos.O atacante diz que tudo o que o Corinthians não pode fazer é ser o time instável que ganhou do Paysandu, animou torcedores e depois deu dois vexames seguidos, perdendo por 4 a 0 para o Grêmio e Palmeiras."Precisamos encontrar a nossa estabilidade. Isso é fundamental. Contra o Atlético, domingo, será uma prova para nós. Ao contrário do que as pessoas estão falando, a vantagem emocional da partida estará do nosso lado. O time deles está muito pressionado. Desta vez o papel de vilão que vive às custas dos contragolpes será o Corinthians."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.