Divulgação
Divulgação

Corinthians enfrenta o Atlético-MG de olho na Recopa

Pensando na decisão de quarta-feira contra o São Paulo, time paulista terá Ibson no meio de campo e Pato no ataque

VÍTOR MARQUES, O Estado de S. Paulo

14 de julho de 2013 | 07h00

SÃO PAULO - Corinthians e Atlético-MG se enfrentam hoje pelo Campeonato Brasileiro de olho nas finais que vão disputar quarta-feira, um pela Recopa, outro pela Libertadores. O peso das duas competições reflete nas escalações no jogo desta tarde, às 16h, no Pacaembu.

O Corinthians vai com quase força máxima, mas espera a recuperação de vários jogadores para enfrentar o São Paulo. Já o Atlético põe um time praticamente reserva, reforçado de Bernard, que está suspenso e não enfrenta o Olimpia.

“Uma equipe vitoriosa não se faz com 11 jogadores. O Atlético é forte, vão entrar Guilherme e Alecsandro. Nós não temos Renato Augusto, Douglas e Danilo, mas continuamos forte”, afirmou Tite.

Por causa dos desfalques, o técnico do Corinthians vai improvisar Ibson, que é segundo volante, na armação. Não é a posição que ele rende melhor, mas não há outra saída.

Ibson vai tentar fazer a função que Renato Augusto fazia no último domingo até deixar o jogo contra o Bahia, machucado. Ele vai atuar centralizado, enquanto Romarinho, pela direita, e Pato, pela esquerda, jogam pelos lados. Guerrero é o centroavante.

“Estou preparado para as coisas acontecerem naturalmente. Eu nem me lembro da última vez que atuei 45 minutos, mas estou feliz”, disse Ibson, que estava sem espaço no Flamengo.

Com Ibson, o meio de campo ganha mais força de marcação, embora perca em criatividade. Um missão do trio formado por Ralf, Guilherme e Ibson é parar Bernard, o rápido e perigoso meia do Galo.

Outro teste para o time de Tite é fazer com que o ataque produza, como foi contra o Bahia, ainda que pese os desfalques no setor de criação. Em Salvador, o time venceu com dois gols de Pato, mas poderia ter sido por um placar mais elástico.

“Quero que a equipe crie e finalize. Essa construção nós já tínhamos, mas nos faltava efetividade. Estamos melhorando”, disse Tite.

Ele afirmou que não pensa em mudar o posicionamento de Pato, que vai continuar aberto pelo lado esquerdo do ataque – assim ele marcou contra o Bahia. O atacante tem velocidade e vira uma arma importante, jogando nas costas do lateral-direito adversário.

Tite não acredita que as “decisões” de quarta-feira interfiram no jogo de hoje. As duas equipes, segundo ele, vão saber separar uma partida da outra.

“Claro que as decisões, não dá para mentir, têm um peso maior, mas acho que Corinthians e Atlético são duas das equipes do futebol brasileiro que têm mostrando regularidade nos últimos anos, jogando bom futebol. Não faltarão ingredientes para esta partida.”

Recuperação. O jogo também é importante para o Corinthians confirmar sua ascensão no Brasileiro. O time tem só nove pontos em seis jogos e está no bloco intermediário da tabela de classificação.

A torcida corintiana também está confinante e para o jogo de hoje comprou até sexta-feira 21 mil ingressos. Já para a decisão contra o São Paulo, 31 mil já tinham sido vendidos.

Na Recopa, Tite deve ganhar os reforços de Emerson, Danilo ou até mesmo de Renato Augusto, que pode começar no banco de reservas. O departamento médico acredita na recuperação desses jogadores.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansBrasileirãofutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.