Corinthians enfrenta o San Jose para confirmar liderança

O Corinthians recebe nesta quarta-feira, às 22 horas, no estádio do Pacaembu, o San Jose, time boliviano por qual torcia o garoto Kevin Espada, morto tragicamente em Oruro, na estreia na Copa Libertadores, no dia 20 de fevereiro. É uma ferida que está aberta e influenciou outros jogos desta primeira fase, difícil, apesar da equipe de Tite jogar para confirmar a liderança do grupo 5. "Claro que guardo o que aconteceu naquele jogo", disse o treinador. "Se terminarmos em primeiro lugar será um sinal de maturidade porque passamos por inúmeras adversidades".

VÍTOR MARQUES, Agência Estado

10 de abril de 2013 | 08h05

A morte de Kevin, de 14 anos, ainda está sob investigação. Doze corintianos continuam presos na Bolívia. O episódio fez o clube ser punido. Jogou de portões fechados contra o Millonarios, no Pacaembu. E a proibição de jogar sem torcida fora de casa está de pé. Após essa primeira fase conturbada, a missão do Corinthians pode ser encarada como fácil. Vencer um rival que já está eliminado e que venceu uma única partida jogando na altitude de Oruro.

A briga pela liderança é contra o Tijuana, que tem os mesmos 10 pontos que o Corinthians, mas perde no saldo de gols, primeiro critério de desempate (5 a 3). Os mexicanos jogam em casa contra o Millonarios, o outro eliminado, também nesta quarta, no mesmo horário. Tite, que deixa Alexandre Pato na reserva, falou que o time vai buscar a vitória e um placar o mais elástico possível. Ou seja: uma goleada. "Buscamos a vitória e os gols e não administrar resultado", afirmou.

Além de terminar a etapa como líder do grupo, o Corinthians ambiciona encerrar a fase de grupo como uma das melhores equipes da competição - um terceiro melhor no geral é possível. São vantagens que o time levaria nos mata-matas, a partir das oitavas de final. "Prefiro jogar os segundos jogos, os decisivos, na minha casa", falou Tite.

O treinador fez uma mudança importante na equipe. Não na maneira de jogar, tomando como base o treino desta terça, mas sim na escalação. Se a opção por Júlio César tem relação com a lesão de Cássio, a saída de Alexandre Pato do time titular é consequência da fase sem jogar que o atacante atravessou.

COERÊNCIA - O treinador usou muito a palavra coerência para justificar a escalação de Emerson ao lado de Guerrero - Romarinho está mantido no meio. Além disso, ele dá uma demonstração de que controla o elenco e de que realmente dá chances a todos. E que não tem medo em deixar uma estrela como Alexandre Pato no banco de reservas. "O Emerson ficou de fora, esperou sua chance e quando entrou, entrou bem", afirmou.

Para Tite, a contusão que Alexandre Pato sentiu na coxa direita prejudicou a sequência dele como titular. "Não existe prêmio (para o jogador), o que eu prego é desempenho, é momento técnico, isso serve para o Romarinho, para o Chicão. O Emerson permanece".

No treino desta terça, Tite mostrou como vai escalar a equipe contra o San Jose. A equipe joga no 4-2-3-1. Essa linha de três será formada por Danilo, na esquerda, Emerson, centralizado, e Romarinho, pela direita. Guerrero será o centroavante. Na defesa, exceção à ausência de Cássio, não há outro desfalque. A linha de quatro permanece. Ralf e Paulinho, que estavam na seleção, retornam ao time. O jogo terá estádio lotado. Mais de 30 mil ingressos já haviam sido vendidos até a tarde desta terça.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa LibertadoresCorinthians

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.