Corinthians entra com recurso no TJD

Já estava tudo programado. O advogado do Corinthians, João Zanforlim, já sabia que era improvável que o Comitê Executivo da FPF contrariasse a decisão do presidente licenciado da entidade, Eduardo José Farah. Por isso, assim que foi notificado do resultado, encaminhou recurso ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD). O órgão, embora não tenha relação direta com a federação, funciona no quarto andar da sede, na Barra Funda, e tem nove integrantes, comandados por Naiaf Saiad Neto. Com a medida, o relacionamento do clube com a entidade ficou ainda mais deteriorado. O cronograma do processo é relativamente simples. Impetrado o recurso, é comum que o resultado seja conhecido em 15 dias. A parte que discordar ainda tem a opção de recorrer ao STJD. Depois disso, só mesmo a Justiça Comum. E o vice-presidente de Futebol do clube, Antonio Roque Citadini, já avisou: vai até onde puder para fazer prevalecer o ponto-de-vista corintiano. "Normalmente não acho isso uma boa, mas não afasto nenhuma possibilidade por enquanto", afirmou ao analisar a possibilidade de recorrer à Justiça Comum. Até então, o dirigente corintiano procurava ponderar suas palavras quando perguntado sobre a atitude de Farah que, mesmo licenciado, disse publicamente que a vantagem seria do São Paulo. Na realidade, o presidente da FPF não tinha autonomia e competência para fazer o que fez, uma vez que o artigo 21 do regulamento prevê que, em caso de dúvida e interpretação, caberia exclusivamente ao Comitê tomar a decisão. "Não era decisão para presidente nem para a federação", cutucou Citadini. Cifrões - Zanforlim garantiu que o Corinthians não vai lutar apenas pela vantagem na final do Campeonato Paulista. Se a decisão judicial for favorável, o clube vai exigir indenização por danos morais e materiais. "Só o prêmio pelo título é de R$ 600 mil", lembrou. Já Citadini garantiu que os jogadores serão orientados sobre como proceder no gramado caso a partida termine com vitória são-paulina por um gol de diferença. Dúvida ? Enquanto nos bastidores o clima é acalorado, nos treinos os atletas procuram demonstrar tranqüilidade. A única dúvida continua sendo o substituto do atacante Leandro, suspenso. A tendência é que Geninho escale Fabrício e repita o esquema utilizado na vitória contra o Fénix, do Uruguai, pela Taça Libertadores da América. O zagueiro César, o meia Renato e o atacante Fumagalli também estão na briga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.