Corinthians: esfria interesse por Dodô

O Corinthians ainda não desistiu da contratação de Dodô, mas o interesse pelo artilheiro de 28 anos já não é mais o mesmo, depois que ele disse, no Rio, que uma possível transferência para o Parque São Jorge é a sua terceira opção. O técnico Carlos Alberto Parreira, que no fim de semana passado chegou a demonstrar entusiasmo diante do avanço nas negociações, nesta segunda-feira não falou em nenhum momento de Dodô, além de ter dito que não está desesperado pela chegada de reforços. "Nunca nos preocupamos em demasia com esse assunto. Reitero o que venho dizendo nos últimos dias, que o Corinthians é um grande clube e que qualquer bom jogador é sempre bem-vindo, mas entendo a difícil situação dos clubes e também se não chegar ninguém, podemos perfeitamente trabalhar com o que temos", afirmou Parreira, lamentando que, em razão do treino desta segunda-feira à tarde, não pôde participar de uma reunião com o ministro de Esportes, no Rio, em que se discutia soluções para o futebol. Parreira faz questão de esclarecer que não se acomodou com os dois títulos ganhos no primeiro semestre. "Conformado também não é a palavra certa para definir a minha posição em relação a reforços. Apenas tenho consciência de que a conquista do penta pelo Brasil não vai melhorar nada. Os clubes vão continuar devendo, tendo dificuldades para pagar os salários e sem poder de compra. Pelo menos a curto prazo as empresas não vão voltar a investir no futebol brasileiro. A saída é fazer o mesmo que Vasco e Flamengo, que estão lançando jovens valores formados nas equipes de base." O técnico concordou em liberar gratuitamente para o União de Leiria, de Portugal, o lateral-esquerdo Édson Canhão, cujo contrato com o Corinthians vai até 2004. O jogador ficará em Portugal durante um ano. Com a saída de Édson, Moreno passa a ser o reserva imediato de Kléber e Ricardinho. Nesta segunda-feira à tarde, Parreira voltou a dizer que ele ainda corre o risco de perder o meia-esquerda titular. "Até 25 de agosto, quando fecha o mercado italiano, há a possibilidade de Ricardinho ser negociado. Essa é a realidade." Quanto a Dida, o técnico corintiano já perdeu a esperança de que o empréstimo seja prorrogado, após tomar conhecimento de que agências internacionais informaram no fim de semana que o goleiro vai se incorporar ao elenco do Milan para ser o reserva de Abiatti. "Dida prefere jogar na Europa e temos que aceitar a decisão dele. Não vou pedir a contratação de um outro goleiro porque temos três jogadores para a posição é chegou a hora deles provarem que têm condições. No momento, o titular é Doni, mas isso não quer dizer que eu não possa optar por Rubinho ou Gléguer daqui a alguns dias", disse o técnico. Se o Corinthians conseguir dois atacantes que Parreira pediu para compensar a saída de Luizão, Luís Mário e Fernando Fumagalli, Leandro pode perder o lugar no time, principalmente depois que Deivid se recuperar da contratura na perna esquerda. Mas ele não demonstra preocupação. "Acredito que qualquer jogador que seja contratado será para ajudar a fortalecer o grupo e continuo o meu trabalho, sabendo da minha importância. Mesmo quando não faço gol e o time ganha, fico satisfeito se consegui fazer o que o técnico me pediu. E tem sido assim com o professor Parreira." Leandro diz que a Copa dos Campeões serviu para mostrar que o Corinthians precisa melhorar muito se quiser ter chance de disputar o título do Campeonato Brasileiro. "Agora, fico triste ao ver pela televisão os outros times jogando. Com um pouco mais de esforço de todos nós, poderíamos estar lá, perto de decidir mais uma vez. Só espero que isso sirva de lição para o Campeonato Brasileiro." O zagueiro Scheidt também acha que o time relaxou depois de ganhar a Copa do Brasil e o Rio-São Paulo. "De minha parte, estou motivado para recuperar a posição que perdi em razão da contusão contra o Cruzeiro. E o time vai precisar entrar forte no Brasileiro porque ninguém está livre do rebaixamento numa competição tão equilibrada como essa. Todos devem lembrar o sufoco que grandes equipes passaram no ano passado", concluiu o zagueiro, que pode ter a preferência de Parreira por ser mais experiente e tomar o lugar de Anderson no time.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.