Corinthians espera até horas antes do jogo para ter Acosta

Clube ainda espera até às 17h desta quinta uma liberação da FPF para que o uruguaio atue contra o Guarani

Vítor Marques, Jornal da Tarde

16 de janeiro de 2008 | 21h16

Principal contratação do Corinthians para a temporada, o meia-atacante Acosta ainda não tem presença garantida na estréia do Campeonato Paulista. O clube ainda espera até às 17 horas desta quinta-feira uma liberação da Federação Paulista de Futebol para o uruguaio poder atuar contra o Guarani. Veja também: Mano escala Acosta entre os titulares e aguarda aval da FPF Roger acerta com o Grêmio e deixa o Corinthians Mano Menezes comanda treino do Corinthians A presença de Acosta depende de a CBF enviar um documento para a FPF, que precisa registrar o atleta. Ele só pode ser escalado depois que esse processo burocrático for concluído. Isso foi necessário porque o atleta precisou renovar seu visto de trabalho para jogar no País, depois de atuar pelo Náutico em 2007.   Segundo a diretoria corintiana, a tendência é que o jogador esteja em campo esta noite. "Esperamos até o último minuto porque o Acosta é grande contratação da temporada", afirma o técnico Mano Menezes. "E a diretoria passou para mim que as chances de ele jogar são grandes. Por isso o escalei no treino coletivo", disse o treinador.   Acosta, que se recuperou de uma lesão no tornozelo, participou como titular do treino coletivo desta quinta, o último antes da partida. Se ele, não tiver condições de jogo, Lima pode entrar em seu lugar. Mas Mano Menezes não confirma. O chileno Suárez e o argentino Herrera, ambos reservas, vivem a mesma situação de Acosta.   Fabinho   Embora já tenha contratado Perdigão e Bóvio, que se apresenta nesta sexta-feira, o Corinthians ainda não desistiu de acertar com o volante Fabinho, liberado pelo Toulouse. O clube francês pede em troca o lateral-direito Eduardo Ratinho ou o volante Bruno Octávio, que atuarão no time titular nesta quinta. E o Corinthians ainda busca um meia-esquerda para completar o elenco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.