Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

Corinthians faz análise do elenco e deve negociar mais saídas de jogadores

Além de Gustavo, emprestado ao Internacional, outros atletas vão deixar o clube

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2020 | 17h45

A queda precoce ainda na fase prévia da Copa Libertadores vai continuar a mexer com o planejamento do Corinthians. Depois de o clube confirmar a negociação do atacante Gustavo com o Inter, mais outros jogadores devem sair. O intuito da diretoria alvinegra é reduzir despesas e ter um elenco menos numeroso, já que o clube terá pela frente uma competição a menos para se preocupar.

O diretor de futebol do Corinthians, Duílio Monteiro Alves, afirmou no sábado que as possíveis negociações já estão em análise. "Pode ser que tenha mais saídas (de jogadores), para que tenhamos um grupo bem ajustado para as competições que vamos ter. Não temos mais tantas competições. Estamos vendo se tem alguém que vai ser pouco aproveitado, que possa ser boa a saída para o jogador e para o clube", destacou o dirigente após o clássico com o São Paulo, no Morumbi, pelo Campeonato Paulista.

A primeira saída confirmada é do atacante Gustavo, negociado por empréstimo de uma temporada com o Inter. Embora não comentem nomes, os dirigentes corintianos analisam principalmente as opções pouco utilizadas pelo clube nesta temporada e fora da lista de inscritos no Estadual. O meia chileno Araos, por exemplo, voltou da disputa do Pré-Olímpico, na Colômbia, e está nessa situação. Outro nome é o zagueiro Marllon.

CONQUISTA DE ESPAÇO

Se por um lado o Corinthians analisa possíveis saídas, por outro tem jogador que vem conseguindo se destacar e ganhar espaço no elenco. O técnico Tiago Nunes elogiou o lateral-esquerdo Lucas Piton, de 19 anos, escalado como titular no clássico no Morumbi e apontado pelo treinador como um jovem com uma carreira promissora. "Ele merece ser titular, assim como o Sidcley merece, por tudo o que fez na carreira e pela experiência internacional", disse.

Nunes explicou que, por ter trabalhado com categorias de base, tem a preocupação de analisar qual é o melhor momento para escalar Piton, com o objetivo de não prejudicar sua maturação. "Tem momento que você coloca o jogador e em outros você retira. É um processo. Vamos trabalhar com calma, porque ele tem um futuro brilhante. Também temos que dar continuidade ao Sidcley", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.