REUTERS/Sergio Moraes
REUTERS/Sergio Moraes

Corinthians faz grande 1º tempo, vence o Botafogo no Brasileirão e alivia pressão

Paulinho, Gustavo Mantuan e Lucas Piton fazem os três gols corintianos no Engenhão

Almir Leite, O Estado de S.Paulo

10 de abril de 2022 | 18h00

Um primeiro tempo impecável, com grande atuação de Willian, deu ao Corinthians a vitória sobre o Botafogo por 3 a 1, neste domingo, no Engenhão, na estreia de ambas as equipes do Campeonato Brasileiro. Triunfo que vai dar um pouco de tranquilidade a uma equipe que vem de dias bastante conturbados. Com um time mais jovem e veloz, o desempenho na etapa inicial mostra que o técnico Vítor Pereira pode ter encontrado o caminho.

A torcida do Botafogo estava animada com seu novo time, comprou em peso a maioria dos 36 mil ingressos a que o clube tinha direito e fez grande festa no Engenhão antes do início da partida. Os jogadores também entraram em campo entusiasmados, mas quando a bola rolou ficou claro o desentrosamento de uma equipe com tantos jogadores recém-chegados.

O Corinthians, sob grande pressão por causa dos maus resultados recentes e das ameaças sofridas por vários jogadores durante a semana, logo percebeu as deficiências do time da casa e, mais bem posicionado em campo, passou a controlar o jogo.

Vítor Pereira optou por escalar um time mais jovem e  mais leve, e por consequência mais rápido.A presença de Maycon no meio-campo deu mais liberdade a Paulinho. E a opção por jogar pelos lados se mostrou eficiente com os avanços de João Pedro pela direita e as arrancadas de Willian pela esquerda.

Willian, aliás, foi um caso à parte no primeiro tempo. Com boas jogadas, dribles, trocas de bolas com os companheiros e passes precisos, destruiu a defesa do Botafogo.

O Corinthians fez seu primeiro gol aos 16 minutos, na quinta chance criada. Paulinho roubou uma bola, tocou para Maicon, que lançou Willian, e correu para área. Willian penetrou pela esquerda e tocou de trivela para o volante, que teve todo o espaço do mundo para chegar livre na área e bater de primeira.

O Botafogo se perdeu de vez, o Corinthians fazia o que queria em campo e logo marcou o segundo. Após escanteio, Paulinho cabeceou e Róger Guedes, também de cabeça, ajeitou para Mantuan, na pequena área, finalizar. O VAR entrou em ação para confirmar que a posição de Guedes era legal quando ele participou do lance e o gol foi validado.

 O time carioca até tentou reagir, mas foi impedido pelo próprio nervosismo e o desentrosamento de seus jogadores. Assim, seu lance de maior perigo foi um uma falta cobrada por Patrick de Paula em que a bola foi fraca na mão de Cássio.

Naquela altura, o Corinthians já havia feito terceiro. Outra grande jogada de Willian terminou com o passe para Lucas Piton, que penetrava, mandar para o gol.

A festa da torcida botafoguense se transformara em frustração e os aplausos iniciais viraram fortes vaias na saída do time para o intervalo.

O segundo tempo começou com as duas equipes modificadas. No Corinthians, Willian e Paulinho sentiram desconforto muscular e foram preservados pelo português Vítor Pereira, que colocou Roni e Adson no time. No Botafogo, o também português Luís Castro, que oficialmente não estreou por falta de visto de trabalho que o impediu de ficar no banco de reservas, mas preparou o time e estava no Engenhão dando instruções, fez três mudanças. Entre elas, colocou Matheus Nascimento e Diego Gonçalves no ataque, para dar mais força ao time.

E o Botafogo melhorou. Passou a jogar mais no campo do Corinthians e a criar chances. Matheus Nascimento perdeu duas ótimas chances, uma em cabeçada e outra em um chute por cima do gol e lance em que estava livre dentro da área. A torcida voltou a empurrar a equipe.

Os donos da casa chegariam ao primeiro gol num pênalti cometido pelo atabalhoado Roni em Matheus Nascimento - chutou a perna do atacante ao tentar acertar a bola. Diego Gonçalves cobrou com categoria, no canto direito de Cássio.

O Corinthians teve a chance do quarto logo depois, quando Mantuan chutou em cima de Gatito Fernández e em seguida Adson bateu por cima. Mas isso não reduziu o ímpeto do Botafogo.

O jogo ficou mais franco. Giovane teve boa chance para o Corinthians (grande defesa de Gatito) e Matheus Nascimento parou em Cássio no minuto seguinte.

O bom nível da partida foi mantido até o final. Algumas chances mais foram criadas, mas o placar não mudou mais. As duas equipes, porém, saem da estreia esperançosas. O Corinthians pelo desempenho do primeiro tempo. O Botafogo, pelo que fez na etapa final.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 1 x 3 CORINTHIANS

BOTAFOGO: Gatito Fernández; Saravia (Daniel Borges), Philipe Sampaio, Kanu e Jonathan Silva (Hugo); Oyama (Romildo), Patrick de Paula e Chay; Lucas Piazon (Diego Gonçalves), Erison (Matheus Nascimento) e Vítor Sá. TÉCNICO:  Roberto Oliveira (interino).

CORINTHIANS: Cássio, João Pedro, João Victor, Raul Gustavo e Lucas Piton; Du Queiroz, Maycon (Giuliano) e Paulinho (Rony); Mantuan (Gustavo Mosquito), Róger Guedes (Giovane) e Willian (Adson). TÉCNICO: Vítor Pereira.

GOLS: Paulinho, aos 16, Mantuan, aos 26, e Lucas Piton. aos 43min do primeiro tempo. Diego Gonçalves, aos 21

ÁRBITRO: Wilson Pereira Sampaio (GO).

AMARELOS: Kanu, João Victor, João Pedro, Roni, Raul Gustavo.

PÚBLICO: 36.898 (presentes)

RENDA: R$ 1.332.850,00.

LOCAL: Engenhão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.