Corinthians faz jogo de alto risco

O Corinthians tem amanhã um jogo delicado em Belém do Pará. Na situação em que se encontra no Campeonato Brasileiro, em franca ascensão, com 37 pontos e na oitava colocação, enfrentar o freqüentador assíduo da zona de rebaixamento Paysandu pode ser um risco. Salto alto e ansiedade para resolver logo a partida são possibilidades que o técnico Tite não descarta, e foi com o intuito de prevenir o time contra tais comportamentos que ele se empenhou nos últimos dias. "Respeito a entidade e as pessoas que estão lá, mas o maior respeito que posso mostrar contra o Paysandu é a manutenção do trabalho em busca de outra vitória", disse o treinador. Tite acredita que o Corinthians encontrará amanhã um adversário decidido a buscar o resultado a todo custo, mas confia no potencial de seus atletas. E a expectativa de Tite parece ter fundamento. Com 23 pontos e na antepenúltima colocação, o Paysandu não tem motivo, em casa, para se fechar na defesa. Por isso, o técnico do outro lado, Adilson Batista, já avisou que vai partir para o ataque e quer que seus jogadores ditem o ritmo da partida. No Corinthians, retorna Fábio Baiano, que estava suspenso, mas o time não poderá contar com o atacante Gil, vítima de uma contratura na coxa esquerda. Em seu lugar, o baiano Alessandro entra para dar velocidade ao ataque. Jô fica mais uma vez no banco de reservas. Três mandamentos - A autoconfiança do treinador do Paysandu não parece incomodar os jogadores corintianos, que dão provas de terem assimilado bem os três principais mandamentos do comandante Tite: dedicação, tranqüilidade e respeito aos adversários. "O Paysandu não está morto. Será um teste de fogo para o Corinthians, pois eles são muito fortes jogando em casa", afirmou o zagueiro Valdson, lembrando ainda que, no primeiro turno, o time paulista sofreu para superar os paraenses no Pacaembu, por 2 a 1. "Temos de continuar fazendo o que sabemos, buscar o máximo da gente nos treinos e nos jogos, que assim vamos longe nesse campeonato", afirmou o confiante volante Fabinho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.