Bruno Cantini/Atlétlico
Bruno Cantini/Atlétlico

Corinthians fechou 2018 ainda devendo para Elias, Fabio Santos e Felipe Bastos

Total da dívida com direitos de imagem, segundo balanço do clube, ficou em R$ 21,6 milhões

João Prata, O Estado de S.Paulo

21 de abril de 2019 | 11h00

O Corinthians finalizou 2018 devendo R$ 21,6 milhões de direitos de imagem para jogadores, muitos deles que já nem mais estão no clube. A lista é extensa e a diretoria divulgou apenas alguns nomes. O volante Felipe Bastos, por exemplo, que deixou o clube no ano passado, é que tinha mais a receber: R$ 5,5 milhões.

O jogador foi emprestado ao Sport, inicialmente, e na atual temporada foi para o Vasco, com quem tem contrato até o fim do ano. O lateral-esquerdo Fabio Santos e o volante Elias, ambos no Atlético-MG, também passaram a temporada passada sem ver uma parte de seus complementos salariais. O primeiro precisa receber ainda R$ 276 mil, enquanto que o outro tem R$ 600 mil.

Os números foram divulgados pelo Corinthians na edição de sábado da Folha de S. Paulo e fazem parte do balanço financeiro de 2018. O clube, como já divulgado no início da semana, fechou o ano com déficit de R$ 18,7 milhões. 

Os direitos de imagem devem ser pagos, em parte, neste ano. Como já foram pagos o de alguns jogadores em 2018. Gustagol, por exemplo, teve quitado os R$ 991 mil referentes a sua primeira passagem pelo clube, em 2016, quando entrou em campo apenas 14 vezes e não marcou nenhum gol.

O meia Rodriguinho também, segundo o balanço financeiro, teve os R$ 979 mil da dívida pagos em 2018. O zagueiro Anderson Martins chegou a entrar na Justiça no ano passado contra o Corinthians e teve os seus direitos quitados. 

Dos jogadores que estão no elenco,  o clube revelou que fechou 2018 devendo R$ 750 mil para o meia Jadson, R$ 840 mil para o volante Ralf, R$ 462 mil para o zagueiro Marllon e R$ 775 mil para o volante Gabriel.  

Empréstimos

E não foi só para jogadores que o Corinthians não conseguiu pagar em 2018. O clube também ficou devendo para três empresários e viu a dívida aumentar por causa dos juros mensais. Para Giuliano Bertolucci, que cuida das carreiras de Ramiro, Pedrinho e Léo Santos, o clube começou 2018 devendo R$ 5,2 milhões referente a um empréstimo e fechou a temporada tendo de pagar R$ 6,5 milhões. 

Para Carlos Leite, que agencia Cássio, Fagner e Mateus Vital, a dívida aumentou de R4 4,1 milhões para R$ R$ 5,7 milhões. Há também R$ 300 mil a ser pago para o empresário Denis Maldelbaum.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansCampeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.