Corinthians festeja empate no Rio, mas reclama de erro da arbitragem

Alvinegro lamenta gol em posição irregular de Guerrero ter sido validado

Paulo Favero, O Estado de S. Paulo

23 Outubro 2016 | 20h05

O Corinthians não viu o empate com o Flamengo como um mau resultado, mas lamentou não sair com a vitória ainda mais depois de o rival ter um gol irregular validado, quando Guerrero, em impedimento, marcou de cabeça.

"Se a gente faz um gol desse, numa fase tão decisiva, ficariam falando por 15 dias. Não pode ter erro grosseiro como esse, é impossível errar dessa forma. Eles estavam três ou quatro metros impedidos", reclamou Lucca, após o empate por 2 a 2, no Maracanã, neste domingo, pelo Campeonato Brasileiro.

via GIPHY

Na jogada, Diego cobrou falta e três jogadores do Flamengo estavam em posição irregular. Guerrero aproveitou e empatou o jogo quando o Corinthians vencia por 1 a 0. "Poderíamos ter saído com a vitória. Lamento a falha do auxiliar. Mas de qualquer maneira, não é um resultado ruim, somamos um ponto aqui em situação completamente adversa e temos seis jogos para avançar e galgar uma situação melhor", afirmou o técnico Oswaldo de Oliveira.

O treinador sabe que ainda tem muito trabalho pela frente para tentar colocar o time na zona de classificação para a Copa Libertadores do próximo ano. A disputa por uma vaga no G6 está embolada e o time do Parque São Jorge segue na briga. "Teremos uma semana de trabalho, terei dois dias para colocar algo mais, que também não altere fundamentalmente o que vinha sendo feito", explicou Oswaldo.

Ele lembra que ainda não conseguiu dar sua forma de jogar ao time, mas aos poucos vai mudando algumas coisas. "Ainda é difícil ter minha cara. Estou dependente, colhendo informações, tem muita coisa da equipe que não posso alterar com profundidade. Estamos no terço final do campeonato e o que minimamente eu posso, tenho procurado colocar. Na medida do possível, tenho procurado personificar a forma do Corinthians jogar", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.